sexta-feira, 24 de junho de 2011

As meninas ricas do Lar Doce Lar - Caldeirão do Huck


No sábado, assistindo ao quadro Lar Doce Lar no programa do Luciano Huck, invejei a mãe de duas meninas, Silvana Rodrigues, que as criava com apenas R$ 300,00 ao mês, mas com valores riquísimos, com a medida exata das coisas essenciais: formação de um pensamento não consumista, cidadania, disciplina e GRATIDÃO. As três eram muito pobres, mas tinham gratidão por cada pequena aquisição e tinham o hábito de coletar roupas usadas doar aos que têm tão pouco quanto elas. 

Fizeram uma tábua dos desejos, coisas que elas gostariam de adquirir e coisas importantes para doar, materializando seus sonhos. Coisas que eu posso fazer para melhorar a minha casa de um lado e o que o universo pode fazer para melhorar a minha vida do outro lado da tábua. Esforço e fé.



Foi o melhor programa dos últimos tempos, em relação à família escolhida, embora os prêmios dados e as melhorias que elas obtiveram tenham sido acanhadas, ao meu ver. Faltou dar uma bolsa de estudos para cada uma das três, faltou montar uma pequena biblioteca na casa, entre outras coisas.

A partir de diálogos no twitter, Carol escreveu um post contrapondo os valores ricos da família Silveira com as declaraçõe do milionário filho de Eike Batista à Revista Veja Rio.


Leia trechos do texto da Carol do blog Histórias no ônibus.

" Sábado (dia 18), assistindo o programa Caldeirão do Hulk, na Rede Globo, vi a personalização de todos esses ensinamentos que tive: a família Rodrigues. Uma mãe e duas filhas, vivendo com 300 reais por mês, morando numa casa resumida a uma peça, mas incrivelmente organizada e limpa, com as crianças frequentando escola, aula de música, curso profissionalizante… A mãe se desdobrando em mil para que as filhas possam estudar e, quem sabe um dia, frequentar uma faculdade.


A menina mais velha, de 16 anos, assim como a irmã de 12, nunca tinha entrado em uma loja para comprar roupas, mas disse que se começasse a trabalhar e ganhar dinheiro, não ia fazer isso, pois tem outras necessidades, como ajudar a mãe no sustento da casa. Lição de vida, né? Além disso, disse que adora estudar e ler.
A família leu “O Segredo” e pôs em prática as lições sobre a lei da atração. Funcionou. Levou Luciano Hulk até lá e ele pode dar um pouco mais de conforto àquela família, oportunizar tratamentos médicos (a mãe queria ir ao oftalmo para poder voltar a ler!), arrumou o negócio de venda de lanches…
Dá para ver todo o programa AQUI, mas já adianto que é muito emocionante. Se você chorar fácil, pegue um lencinho ;)
Alguma dúvida de que a casa será bem cuidada e bem aproveitada? Nenhuma. Existe uma pequena distância entre perseverança e riqueza. E eu não falo da riqueza de dinheiro, mas sim de espírito, porque essa é que traz tudo de bom para a vida de uma pessoa. Essas três mulheres são ricas de duas coisas que ninguém nunca pode tirar delas: perseverança e educação. E educação, como eu já disse, leva você aonde você quiser.
Aí, ao mesmo tempo em que vemos uma história emocionante e motivadora como a da família Rodrigues, lemos uma notícia sobre Thor Batista, filho do empresário Eike Batista (listado pela Forbes 2011 como o 8º homem mais rico do mundo), em que consta o seguinte: “Apesar do começo precoce nos negócios, Thor não é exatamente estudioso. Só concluiu o ensino médio no supletivo, nunca leu um livro inteiro e trancou o curso de Economia do Ibmec no 1 ano.”.

Thor Batista
(...)
A única coisa que posso pensar disso é que as pessoas não sabem aproveitar as oportunidades que têm, ainda mais aquelas que já nasceram com as oportunidades batendo a sua porta. Thor tem dinheiro, mas não quer estudar. As meninas da família Rodrigues não têm, mas sabem que só estudando podem vir a ter um dia.
(...)


*
Depois de comparar essas pessoas (superficialmente, como a mídia as mostrou, pois não as conheço na vida real), desejo mais ainda criar os meus filhos nos parâmetros que a mãe do Lar Doce Lar criou suas filhas, muito focadas no SER e com gratidão ao TER.


Você assistiu ao programa? O que achou da tábua dos desejos da família?

Atualizando

A família do Lar Doce Lar tem um enorme sentimento de gratidão. Antes de receber o presente do programa, elas já tinham essa gratidão à ONG que ensina música para as filhas. 

Nos últimos minutos do video, você verá Luciano Huck  perguntar a elas como foi dormir pela primeira vez na casa reformada, com tudo bonitinho. E me chamou a atenção a resposta: -"abraçamos os travesseiros, as almofadas, cheiramos tudo, agradecemos por tudo". 


Enfim, gratidão novamente. Dar valor ao que se tem, por pouco que seja. Ao ver o video inicial, observe que elas não têm armários, são caixotes empilhados, mas com as roupas absolutamente arruamadinhas, dobradas, caprichadas, muito melhor do que se vê em muitos closets.


Lembrando que o CALDEIRÃO DO HUCK é um programa de entretenimento, em um horário nobre da TV, com patrocinadores, e não um programa beneficente, veja o pertinente comentário do Lufe (clique aqui para conhecê-lo):

"Fernanda, Não vou questionar se por trás de tudo esta o Marketing, o “merchan”, pois acho que no geral isto é irrelevante. Afinal o cara esta apresentando o seu programa de entretenimento. O que realmente interessa nessa historia é a dignidade, o amor e a educação, que essa senhora conseguiu nos transmitir ao apresentar sua família. Ela nos mostrou que uma pessoa, por mais miserável que seja, consegue ser digna. 

As oportunidades existem, as usa quem quer, e ela quis. Para catar seu papelão, ela contatou as pessoas que separavam o lixo seco para ela. Começou na Xepa, ajudou os feirantes a armar e desarmar as barracas, e passou a receber deles a feira. Recebia doações e redoava o excedente Manteve as filhas na escola. Colocou as filhas numa ong para o aprendizado da musica. Lia e repassou a elas o habito de leitura. Utilizou o que aprendia nos livros. Cultivava hortaliças orgânicas e presenteava os vizinhos, sempre com um bilhete com uma frase de incentivo. 

Cultivam o crescer espiritual, o “ser”. E tudo isso com muito amor, sem derrotismo, sem recalques. Nesta época onde as redes de TV apresentam em seus noticiários o que há de mais desgraça e derrotismo neste pais, as bandalheiras, os desvios de dinheiro e conduta, a perda de valores, a violência, o Sr. Huck nos brinda com essa perola. Isso nos faz acreditar que ainda temos jeito como sociedade e nos faz pensar muito em nossas responsabilidades como cidadão. 

As pessoas precisam de muito pouco para “ser”. Amor, compreensão, solidariedade, oportunidade, dignidade, respeito, valores. Muito disso podemos ajudar a ter, basta a gente 
 querer. Fica ai o exemplo. A gente tem mais é que olhar a nossa volta."



66 comentários:

Geninha postou o comentário número:

Sim. Assisti e postei hoje pela manhã sobre. Pra mim foi muito significativo.

Bjs!

Marcia postou o comentário número:

Oi Fe, assisti ao programa e assim como você adorei e chorei muito também !!!
Foi o melhor programa que assisti, apesar da pobresa a organização e a limpesa estavam presentes naquela "casa" e muito mais que isso o "Amor".
A tábua dos desejos então ... sem comentários ... quanto otimismo e perseverança ... assim como elas acredito que o universo trabalha a nosso favor desde que façamos a nossa parte o que elas fizeram e muito bem feito.
Simplesmente adorei !!!
Beijos
Marcia

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez postou o comentário número:

adorei esse post, mas hj vou fazer o papel de chato-advogadododemo

tenho HORROR a esse tipo de programa, pq mta coisa é forjada (já trabalhei em tv, na manchete, sei como é).
pq não tem jeito, o apresentador faz o papel de messias, vai salvar da miséria uma família.

aqui mesmo, teve uma "conhecida" que apareceu no Gugu: do nada a casa dela nem banheiro tinha, etc... então nesse caso tb tenha ai um certo exagero (mesmo essa questão de nunca ter entrado na loja pra comprar roupa... pensemos bem, por mais pobre que a pessoa seja, ela já entrou na marisa pra comprar uma calcinha, vai rs), mas tá, é ajuda, tá valendo.

mas a reflexão em si é mto especial: valores. a maior crise que vive a sociedade hj é a de valores.

Talvez o filho do Eike Batista não vá ter cultura, vai ser mais um vergonhoso rico da brega alta sociedade bras, que desde os tempos coloniais tem dinheiro, mas classe que é bom...

só que o que interessa (para eles), que é administrar negócio, o pai tem tentado passar o seu conhecimento ao filho. então o que realmente importa pra eles (o que é tido como importante na familia Batista) tem sido repassado.

sei lá, desculpe o comentário...mas é que esse estereótipo do pobre bonzinho-honrado-íntegro (nobre) e do rico-mimado-chucro (pobre de espírito) me incomoda... tem é mta inveja misturada nessa polenta toda, etc.

bjs

Cacarecos postou o comentário número:

Adorei o programa! Realmente achei muito emocionando, os valores destas meninas são indiscutíveis, quantas vezes nós mesmos não damos valor a certas coisas que para nós são tão normais e para outras família são um sonho. Um exemplo de vida que quero levar para sempre.

Asas à imaginação postou o comentário número:

Fernanda, sua postagem além de oportuna, ficou excelente...que bom!!!
Assisti também ao programa do Luciano e fiquei realmente encantada com a família Rodrigues...que exemplo de dignidade, força, educação, determinação e fé deram essas mulheres!!!
Max Gehringer diz assim: 'Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz.Assim ele saberá o valor das coisas e não o seu preço."
D. Silvana fez isso muitíssimo bem ao passo que o Eike...
Um super abraço, Fernanda...vou dormir feliz!!!
Marlei

SANDRA postou o comentário número:

OI Amiga,

Infelizmente e excepcionalmente este findi passado não vi o Caldeirão. Adoro. Para mim, igual ao programa do Chacrinha, é algo feito para a família Brasileira, o que é raro nos dias de hoje. Gosto muito de assistir aos quadros do Caldeirão, por trás de toda a mídia e de todo o dinheiro que move o programa o mesmo acaba diretamente sempre ajudando a pessoas merecedors, e para mim isto conta muito.
Assim que terminar de responder a este cometário irei assistir ao quadro, quero ver de perto o sucesso desta mãe, sim, uma mãe que cria suas filhas desta maneira é uma grande vencedora.
Desde cedo sempre ensinei à minha própria filha todos os ensinamentos que recebi de minha mãe,procurei aprimorar ainda mais e forneci os melhores estudos que estavam ao meu alcance. O sucesso está aí, e os frutos estão sendo colhidos!
Vejo também a cumplicidade e o amor como sustentáculos para que a vida seja vitoriosa! Hoje mesmo ainda em um café com meus três irmãos fui muito questionada por minha filha ser tão apegada a mim!
Ora...se nos damos tão bem, se contruímos um lar tão sólido e se temos tanto carinho porquê não ser assim?
Vejo no sorriso daquelas três no teu post algo parecido...amor se planta, amor se colhe!
Quanto a outra família citada....sem comentários!

Beijinhossssssss

Ana Paula Santiago (inventandocasa.blogspot.com) postou o comentário número:

Eu deixei de assistir O huck, acho ele muito "diz uma coisa e faz outra". O programa ficou uma cópia mal feita dos originais e as transformações do lata velha e do Lar doce lar agora são tão michadas... Mas pelos comentários que vi, pelo menos essa família foi muito bem escolhida pq outra dona Kemico não dá, né?
Beijo e bom feriadão.

Clara postou o comentário número:

Eu assisti e me emocionei tbm. Parece que esses valores, como a gente vê por aí afora, são mesmo dos mais humildes. Os afortunados e tbm os nem tanto assim acham que dinheiro compra tudo. Pra que estudar então? É por essas e outras que é muito bom saber que a classe mais humilde é em grande maioria no país. Os riquinhos não passam de herdeiros e só isso.
Beijos, Fernanda.

Simone Scharamm postou o comentário número:

Oi, Fernanda,
Não assisti ao programa, mas seu post já me deixou emocionada! vou ver agorinha!
Acho que exemplos assim é que mereciam a capa da Veja, não o do filho do Eike Batista!
Um beijo e ótimo feriado!

Bia Jubiart postou o comentário número:

Fernanda, p/ variar chorei feito uma boba... Gosto muito do "Lar Doce lar" e sempre que posso assisto. Me surpreendeu no final do programa a transformação da mãe, ficou linda! (Sempre foi linda), fico a imaginar o que a auto estima não faz conosco...

A metas/objetivos na tábua, é uma forma concreta de vislumbrar e se cobrar diariamente, achei interessante o círculo, ele se fecha atraindo bons fluídos, a escrita tem um pouco da neurolinguística, tudo favoreceu inclusive a atitude positiva da mãe em segura aquela "barra".

Concordo com vc, sobre a bolsa, quem sabe o milionário não possa doar?

Bella, excelente post! Um feriadão relax p/ vc e família! (aqui ele está passando longe).

Beijooooooooooo

Fernanda rudloff postou o comentário número:

Oi Fer chara heheh
Sempre leio seu blog e amoooo.
To pasando pra te dizer que compartilhei es te texto das meninas do Lar doce lar num grupo que participo no Facebook, espero que nao se importe.
bjao

Renata postou o comentário número:

Oi Fer!
Linda a estória! Eu assisti e me emocionei!
Quanto à tábua dos desejos eu fiz algo bem parecido há algum tempo atrás e da lista que fiz conquistei boa parte...Ainda hoje tenho uma pequena lista de agradecimentos ao Universo e a Ele que fica bem a frente do meu computador, então eu a vejo todos os dias. E, a cada dia eu reforço meu pensamento de que vou conseguir não apenas bem materiais, mas principalmente crescimento, meu crescimento como ser humano.
Beijos, Renata
palpitandoemtudo

Roberta Colling postou o comentário número:

Engraçado como cada um vê no programa a sua historia de vida... não pensei nisso de oportunidades, pensei em felicidade. Tenho visto muita gente que tem recursos (leia-se dinheiro) e não é feliz, não aproveita a vida, não tem prosperidade! e elas mesmo na dificuldade me parecem pessoas correndo atras da prosperidade. Tirei uma lição delas, estou tentando manter apenas pensamentos positivos, para atrair muita coisa boa!
Bjus

Jordana / Gatodesapato.blogspot.com postou o comentário número:

Achei que ficou faltando a cereja do bolo mesmo...biblioteca ou sala de estudos com certeza seria bem aproveitada...mas...Vou compartilhar teu post no facebook...gostaria que quem não viu...assistisse essa aula de vida!Beijos

Elza Carrara postou o comentário número:

Eu perdi esse programa, mas vou ver agora mesmo pelo link :)
bjs

Syspil postou o comentário número:

Assisti e me emocionei. Tremenda lição de vida. Sem dúvida, uma boa formação independe de dinheiro. São necessários objetivos, valores e metas e não perder nunca de vista o que pode ser realmente importante.bjs
sissy-atelier.blogspot.com

Teto Doce postou o comentário número:

Oi Fernanda, também assisti o programa e me encantei com esta familia.

Sensacional!!! O amor está presente naquela casa, com meninas tão ricas de sabedoria tudo fruto da mãe que diante de tanta dificuldade lhes ensinou o que há de melhor neste mundo.

adorei a postagem,
beijo grande,

poof postou o comentário número:

Não sou muito de chorar porém foi muita emoção ver o amor e a fé de dias melhores que existe naquela família. Dentro do possível uma casa organizada e limpa com pessoas que sabem ter gratidão pelo pouco que recebem e compartilham este pouco com outros.
Meus filhos estudaram na melhor e cara escola da cidade,não por sermos ricos, mas para receberem a maior riqueza que pode se dar a um ser humano:Educação.
Eles aprenderam a batalhar pelos seus sonhos e viam seus colegas "ricos" terem tudo na mão,hoje emdia muitos deles ainda nem concluíram o ensino superior enquanto o meu filho mais velho está na concluindo a pós. Ele sempre conversava e dizia:Como eles,os colegas ricos,iram manter ou duplicar a riqueza que herdaram se não estudam e nem se preocupam com nada na vida?"

Leticia postou o comentário número:

Fe
Não assisti o programa, vou ver no link que vc me mandou. Sabe que já conversei muito com a minha terapeuta sobre esta questão das possibilidades x aproveitar. Vivencio casos super próximos de pessoas que tem possibilidades, senão ilimitadas, muito altas, e não tem a menor vontade de aproveitar... um dia, daqui alguns anos, irão se arrepender amargamente da perda de tempo, dinheiro e valor... isso me deixa puta da vida, mas cada um sabe de si.
Meus pais me deram boas possibilidades dentro do que eles podiam. Não ganhava viagens, não ganhei carro, não tinha roupas de marca... comecei a trabalhar com 14 e tenho um puta orgulho do que eles fizeram por mim e pelos meus irmãos. E posso falar? Vejo o orgulho nos olhos deles a cada conquista nossa, como se fosse deles. Hoje tenho um sonho, quando tiver um dinheiro a mais, adoraria levá-los para a Europa, para conhecer... acho que é um presente que eles merecem! Vou colocar na minha tábua de desejos!!!
Beijos
lelê

PS> eu li o segredo, apesar de repetitivo, ele ensina o básico do pensamento positivo... é bem bacana!

Cacau Monteiro postou o comentário número:

Foi maravilhoso ver como valores pessoais nada tem haver com valores materiais...
Fiquei encantada e até disse para minhas filhas como estava tudo organizadinho e elas nem tinhas guarda roupa.
Tenho que por em prática muitos daqueles conceitos, como as coisas que eu tenho que fazer e deixar que o universo faça as coisas dele sem me quetionar se vai acontecer ou não.
Me emocionei e é muito bom saber que no mundo ainda existem valores verdadeiros.
Bjo meninas e vamos seguir exemplos dignos como este!!!

marcela postou o comentário número:

Oi Fernanda gosto muito ler seus post e mais uma vez vc arrasou escrevendo esse.Tb assisti ao programa e tb concordo q elas mereciam mto mais.Concordo c a Carol por cd palavra escrita.Hoje em dia as pessoas não sabem aproveitar as oportunidades conseguem td mto fácil e não dão valor as suas aquisições pois não se esforçaram p recebê-las.E não precisa ir mto longe,c/ o triste exemplo do Thor.Vejo ao meu redor os adolescentes tendo mtas oportunidades e não tendo menor valor de aproveitá-la pelo simples fato de receberem td q quer sem merecimento nenhum.Ficou mto claro que o dinheiro não é desculpa de falta de valores,pois essa mãe deu o principal p suas filhas coisa q dinheiro nenhum paga...dignidade e responsabilidade nos seus atos.Tudo isso c mto amor,já me apossei desse lindo exemplo q com amor tudo se supera.Fernanda agradeço por ter lido esse desabafo e mais uma vez parabéns a vc e a Carol,pela sensibilidade de suas palavras.
Bjs!
Marcela

♥alba♥ postou o comentário número:

Oi Fernanda!
Achei muito bom ver algo que parece está perdido nos dias de hoje, uma educação leve sem preconceitos e com tamanho amor por tudo e por todos, foi magnifico o exemplo de família dessa semana no programa do Luciano, é bom termos bons exemplos para continuar acreditando no amanhã.
Beijim!!!

Dea postou o comentário número:

OI Fe, eu não assisti, mas eu quero muito ver
Parece que foi emocionante
beijos

Clau Finotti postou o comentário número:

Clap clap clap mil vezes!

É o tipo de post que adoro ver, valores diferentes de famílias totalmente diferentes!

Cliquei pra saber mais sobre o filho do Eike e fiquei enojada.

Eu tenho uma amiga que tem ótimas condições financeiras, mora muito bem, viaja com filhos pro exterior, etc, mas as crianças são educadas numa simplicidade que quando estão misturadas com as outras menos abastadas a gente nem nota, não são exatamente "os riquinhos" da turma. Admiro quem consegue fazer isso que a Luma não conseguiu, né?

Espero conseguir dar esses valores um dia à minha futura filha.

Bjocas.

Clau

daniart postou o comentário número:

eu assisti e foi emocionante tbm li o SEGREDO e acredito muito na lei da atração tendo gratidão e dando valor a tudo oq tem mesmo que seja pouco
bjinhossss!!!!

Turquezza postou o comentário número:

Para falar a verdade não gosto de assistir esses programas. Tem muito de merchan por trás.
Mas devemos aprender as boas lições que a vida nos dá. Li o Segredo e conquisto as coisas que quero (simples e poucas, mas adoráveis).
Acho que a riqueza que fica é a Educação! Dinheiro pode acabar num dia, por várias razões. Mas Educação e Força de Trabalho não acabam nunca.
Essa três mulheres serão felizes sempre e vencerão pelo Amor, Dedicação, Carinho,Persistência, Alegria de Viver .............
Linda sua postagem. Beijos.

Mari Hart postou o comentário número:

Impossível não se emocionar! Ainda mais sendo mãe nos dias de hj ver um mundo de valores tão invertidos. Há uma luz no fim do túnel! Postagem perfeita!

Bjão!

Fabiano Mayrink postou o comentário número:

Oi Fernanda boa tarde! Acabamos por ficar abobados quando nos dias de hj vemos uma familia inteira se sustentar somente com 300 reais ne, mais sabe as vezes pessoas simples como vc expôs aq são muito mais generosas e com coração puro.. Tenho que aprender muito ainda nessa minha jornada!! as vezes reclamos da vida, igual aq em casa é de telha ainda faz um calor no verão por isso não gosto de verão, e o prédio esta em acabamento já tem uns 20 anos rs.. Mais ainda bem que é nossa casa própria tem gente que mora em papelão igual a uma amiga da minha tia que hj tem vida tranquila mais que já morou em casa de papelão na Bahia... Esses casos só nos motiva a sermos melhores! um abraço ;)

Mania D' Marie postou o comentário número:

Fernanda,não perco nenhum lar doce lar e realmente,esse foi o melhor que já vi,quem dera que todos pensassem assim,não é mesmo?Mais já que não podemos mudar o mundo,podemos fazer a diferença em nossas vidas,tenho uma coisa comigo,quando vou fazer alguma coisa me pergunto:o que Jesus faria?Se cada um de nós nos puséssemos a refletir nessa pergunta cada vez que fossemos fazer alguma coisa,estaríamos ajudando muito ao mundo e principalmente a nós mesmos.
Cheiro!!!

historiasnoonibus postou o comentário número:

Nossa, esse programa foi muito emocionante mesmo!
Chorei demais com o exemplo dessa família. Além da organização, limpeza, a ideia de que só a educação pode melhorar suas vidas.
Acho que uma família que tem isso, que pensa dessa forma, tem tudo e atrai todas as energias positivas do universo.

Obrigada por utilizar meu texto e dar força pro meu blog bebê hehe

Beijos

Cristiane Félix postou o comentário número:

Assisti alguns pedacinhos do programa e me emocionei sim.
Que a família Rodrigues aproveite bem o presente.
Bom feriado.
Bjks.

Irene Moreira postou o comentário número:

Fiquei até agora assistindo ao programa. Realmente não tem como não se emocionar. Um exemplo não só de cidadaninha como repete constantemente o Huck, mas de amor, de dignidade, respeito e muito amor.
Já conheci muitas famílias simples que conseguem com tão pouco viverem dignamente e por isso que não aceito o fato de encontrar famílias com crinaças pedindo esmola na rua. Muitas até te peitam dizendo: "Tia me dá um real"
Muito fácil pedir e porque não vai fazer algo para ganhar o seu dinheiro. E neste quadro e através desta família mostra como é possível ter educação, cultura sem custo algum só tendo a vontade de aprender e lutar por um lugar ao sol.

Não costumo assisti muito TV e principalmente a estes programas porque acho que é pura marketing, puro comércio. Ajudam ao próximo, mas também ajudam a muita gente atrás da cortina.
Quantas famílias recebem essa ajuda e depois que a vida volta ao normal dão de vender tudo que ganharam. Tenho certeza que esta família saberá aproveitar tudo que ganhou porque são pessoas com educação e isso é que mais o nosso País precisa investir.

Obrigado Fernanda!

Beijos e um bom feriadão.

Leila Brasil postou o comentário número:

Foi emocionante o quadro do programa e a lição de vida comoveu e ensinou a quem quisesse aproveitar. Foi muito proveitoso para o espírito da gente . Essa postagem também!!!! pois reproduz os mesmos maravilhosos efeitos de uma reflexão transformadora.
Quanto ao menino de Luma eu tenho outras idéias e não posso(humildemente não sou capaz) fazer julgamentos e comparações . São desiguais as situações . Os aspectos que motivam as lutas internas e externas são complexos e envolvem mais explicações que a nossa vã filosofia pode ver.
As meninas são mesmo afortunadas e ricas
Beijocas

Lufe postou o comentário número:

Fernanda,

Não vou questionar se por trás de tudo esta o Marketing, o “merchan”, pois acho que no geral isto é irrelevante. Afinal o cara esta apresentando o seu programa de entretenimento.
O que realmente interessa nessa historia é a dignidade, o amor e a educação, que essa senhora conseguiu nos transmitir ao apresentar sua família.
Ela nos mostrou que uma pessoa, por mais miserável que seja, consegue ser digna.
As oportunidades existem, as usa quem quer, e ela quis.
Para catar seu papelão, ela contatou as pessoas que separavam o lixo seco para ela.
Começou na Xepa, ajudou os feirantes a armar e desarmar as barracas, e passou a receber deles a feira.
Recebia doações e redoava o excedente
Manteve as filhas na escola.
Colocou as filhas numa ong para o aprendizado da musica.
Lia e repassou a elas o habito de leitura.
Utilizou o que aprendia nos livros.
Cultivava hortaliças orgânicas e presenteava os vizinhos, sempre com um bilhete com uma frase de incentivo.
Cultivam o crescer espiritual, o “ser”.
E tudo isso com muito amor, sem derrotismo, sem recalques.
Nesta época onde as redes de TV apresentam em seus noticiários o que há de mais desgraça e derrotismo neste pais, as bandalheiras, os desvios de dinheiro e conduta, a perda de valores, a violência, o Sr. Huck nos brinda com essa perola.
Isso nos faz acreditar que ainda temos jeito como sociedade e nos faz pensar muito em nossas responsabilidades como cidadão.
As pessoas precisam de muito pouco para “ser”.
Amor, compreensão, solidariedade, oportunidade, dignidade, respeito, valores.
Muito disso podemos ajudar a ter, basta a gente querer.
Fica ai o exemplo. A gente tem mais é que olhar a nossa volta.

bjo

Adriana Balreira postou o comentário número:

Fer,
Não assisti o programa mas li e vi seus comentários no dia mesmo que passou o programa e já deu para ter a ideia de quão bem educadas essas meninas são. O que a gente não vê em tantas outras crianças que tem condições de ter e que os pais não dão. Sim, pois eu acho que quem tem a obrigação de dar os valores aos filhos são os pais. Dar os valores, ensinar o respeito e gratidão. Muito bom seu post. E vou assistir já com meu lenço na mão, pois choro com tudo.
Beijos
Adriana

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez postou o comentário número:

eu de novo rs
assisti o vídeo, para recomentar. continuo não gostando... pq fica uma mensagem escondida de que "o negócio é rezar para alguém ajudar, aparecerá um messias branco e rico para nos tirar dessa, e sem ele estaremos a vida toda fufu".

continuei a achar ruim, rs. acho que só eu que achei, mas esse tipo de papo não me desce.

NÃO GOSTO DE PROGRAMA ASSISTENCIA, de qualquer ordem (até pelo teatrão envolvido). Curto mesmo é uma boa história de superação, como a do João Matuto, que contei no blog. Preferia que fosse dado esse recado pela tv em vez de falar "abra um livrinho, mentalize que o homi da tv vem te salvar". imagino qtas famílias não estão lá agradecendo até a barata q entrou na cozinha, lendo o segredo e cia...e vendo a chuva cair na janela, seguirão pobres a vida toda.

essa é minha crítica.
bjs

Patricia Daltro postou o comentário número:

Eu não assisti o programa. Tenho evitado Luciano Huck, mas marido assistiu e contou que realmente esse foi um programa emocionante. Principalmente pelos valores da família, tão raros hoje em dia.
Quanto a comparação com o filho de Eike Batista Não vou julgar/comparar, mas não consigo confiar em ninguém que declare com orgulho que nunca leu um livro completo.

Lauisa Sousa postou o comentário número:

Olá Fê...muito bacana seu post..como sempre.. Assistimos ao programa...todos daqui de casa e gostamos muito do que vimos..sei que como disse o Alexandre há um Q de sensacionalismo, mas o que ficou marcado para nossa família foi a mensagem..o carinho, o respeito e criação que essas meninas estão recebendo..Ganhei o livro ano passado no dia do meu aniversário e nessa época estavam construindo um condomínio aqui perto ficava olhando da janela e certo dia ganhei um folder do empreendimento...na mesma época em que estava lendo o livro..peguei o folder e colei na porta do meu guarda roupa e sempre que via o papel mentalizava..quero morar lá..essa é minha casa ideal...resultado???estou terminando de fechar o negócio e devo receber meu AP em dezembro..é só acreditar que o universo conspira ao seu favor..claro que devemos fazer tb pelo universo..beijos!!!

Iara postou o comentário número:

Não vi este programa, mas adorei o post e os comentários do Mauj então, agradecer a barata que entro na cozinha foi o máximo, também não so muito chegada nestas coisas de ler livrinho e mentalizar, meu filho então tem pavor. Mas é adorável ver histórias assim apesar de tudo e melhor ainda pegar o Mauj possuído pelo espírito da Fernanda, e mais que tudo o respeito entre pessoas que sabem discordar, ser diferentes, pensar diferentes e nem por isso se ofendem com isso, como vemos acontecer tanto por aí.
Para mim as melhores amizades se baseiam nas diferenças entre as pessoas, se fossemos iguais em tudo, nada mais haveria a aprender, é muito bom conversar com pessoas que pensam diferente e nem por isso querem colocar nas cabeça da gente sua forma de pensar. Isso é respeito, isso é fazer mais, isso é contribuir para um mundo melhor.
Abraços a Fe e ao Ale, dois blogueiros pelos quais tenho profunda admiração e respeito.

Lin Sousa postou o comentário número:

olá, não vi o programa no dia e ao visitar seu blog resolvi ver aqui e emocionei demais .. se é armação ou apelação , não importa.. o que importa mesmo são os valores que essa mulher passa para suas filhas .. eu me vi nessa família, pois também fui criada na simplicidade, com pais com pouca instrução mas que me ensinaram a ter caráter, moral e que batalharam muito para que eu estudasse e tivesse uma vida digna ..deveriam passar esse programa nas escolas de comunidades.. hoje em dia todo mundo quer tudo fácil, não quer batalhar por nada.. seria uma boa oportunidade de mostrar valores decentes para muita gente .. obrigada por compartilhar .. bjks LIN

Graciane Ivanow postou o comentário número:

Oi, Fer!!! Eu vi esse quadro e assino embaixo de tudo que vc disse! Se tds fossem assim o mundo poderia não ser perfeito, mas seria muito melhor.
Vim pra te contar que recebi o prêmio, amei!!! Lindo, fofo e amei a minha mini abóbora. Minha filha já experimentou tudo que vc mandou e disse que a faquinha é dela. rs
Obrigada, adorei! Depois posto a foto lá no blog e te aviso.
Beijocas.

Sabrina Pache postou o comentário número:

Olá Fernanda, só não assisti como também já li o livro que comprei à 3 anos... e tudo o que elas dizem fazem muito sentido... o livro realmente nos ensina sobre a força do pensamento e que devemos ter em casa um painel de vizualizações...
Achei incrível quando uma das filhas disse que queria trabalhar para ajudar a mãe e que não iria comprar roupas, pois isso não era necessário na vida dela... o desprendimento das coisas do mundo me fascinou...nos serve de lição!!!
Parabéns pelo post...beijoão no coração

www.artdecorandoavida.blogspot.com

gamela presentes postou o comentário número:

Assisti o programa na segunda-feira pela net, também acho que há muita especulação e exploração com a miséria alheia.
Mas vamos imaginar que não aconteceu o programa, a vidinha delas continua lá, como sempre.
Já é um grande exemplo de vida.
Elas não esperavam visitas e a casa estava arrumada.
Embora as roupas vestidas sejam oriundas de doações, estavam elegantes.
Tocar um instrumento musical?
Achei maravilhoso!
Tudo foi tocante, e se algo foi forjado, se pelo menos apenas 10% que foi mostrado seja verdadeiro, já acho que valeu à pena.
Elas são mulheres corajosas e queridas pelos vizinhos, todos foram solidários na formação de casal para o beijo coletivo.
Na minha época de faculdade fiz um trabalho de antropologia, durante o ano todo conhecemos várias famílias que eram classificadas como miseráveis.
Todas tinham problemas: com drogas, com álcool ou com algo ilícito.
A miséria destrói toda a dignidade de qualquer ser humano.
Lindo e comovente exemplo de vida.
Beijos.
Fátima.

Alicinha postou o comentário número:
Este comentário foi removido pelo autor.
Ro Archela postou o comentário número:

Vi um video sobre o programa e amei. Talvez esse tenha sido o melhor que já vi sobre o tema organização, equilibrio, educação, base familiar. Realmente fiquei muito orgulhosa por elas! Ótimo post esse. Parabéns bjs, Ro

lilian vieira postou o comentário número:

Oi Fernanda, eu assisti o programa e me emocionei, é mais facil as pessoas ficar só reclamando do que fazer algo para melhorar olha esta mulher com R$300,00 consegue ser mais educada do que alguns que ganha milhões,bjos.
http://mulhersuper.blogspot.com

Telma Maciel postou o comentário número:

Ah, Fê... e gosto mto dos Lar Doce Lar, mas sempre me pergunto como será o depois. Lembro do programa onde era a mãe e duas filhas tbm, mas elas naõ cuidavam da casa q tinham... pensei em qual seria o resultado da casa reformada...
Essa família com certeza vai aproveitar bem! É um exemplo pra todo mundo! Foi LINDO o programa! Mesmo, mesmo! E eu ADOREI a tábua dos desejos! Ideia fantástica!!!
Beijão!

Bibia Bueno postou o comentário número:

Eu não assisto Globo. Peguei um porre absurdo!!! Mas eu simpatizo até com o Hulk e gosto do Lar Doce Lar, acabo assistindo pela internet. Esse eu ainda não vi. Eu gosto muito do Reconstrução Total porque sempre escolhem famílias que são exemplos, cada história linda que valoriza o programa!!! Eu gosto das famílias que a produção do Lar Doce Lar escolhe, pelo jeito essa é especial, assistirei.

Fer, combinaria com você listras pasteis com tons de verde, não? Amo listras verticais também. E com meu pé direito baixo elas são mais interessantes que as horizontais. Também gosto, mas prefiro mesmo as verticais...

PS: Decidi deixar as unhas respirarem essa semana, tão encardidas as coitadas!!!

Beijos e ótimo FDS pra você e a família toda!

Vê se mostra o quarto do Guga pra mim! rss

Simone Aline postou o comentário número:

Nossa Fernanda, não vi esse, verei agora... até pegaria o lenço, se não tivesse ainda derramado uma lágrima. mas só lendo o post já estou me "afogando"... É.. ensinamentos preciosos. A forma de se viver (como diz o título do seu próprio blog) determina muita coisa!!!
Lindo post, pra variar! =)
Grande beijo!

Moni postou o comentário número:

oi fernanda... essa história tbm me comeveu mto!!!
me diz como eu faço para participar da blogagem coletiva de esmaltes? beijos

Dona Amélia postou o comentário número:

Eu assisti ao programa e me emocionei desde a chamada! Gosto desse quadro do programa, e sei que há todo o marketing e merchan envolvidos, mas acho mto melhor q a propaganda seja usada assim, fazendo diferença na vida de alguém do que só etretendo nos comerciais.
Me senti tocada e acalentada pelo carinho, moral, educação, amor e gratidão dessa família. E com elas percebi o quanto eu tenho e o quanto eu sou. Algumas muitas vezes me disseram que eu deveria ser mais ambiciosa, que me contento com pouco, que faço festa com migalhas. Mas Isso não é verdade, a minha verdade é que preciso de muito pouco pra ser feliz, que um sorriso vale mais que pérolas, e eu sou, de verdade, uma pessoa muito feliz, pois sou grata a tudo que tenho conseguido, às pessoas que tenho em minha vida e a tudo que cada uma me ensina.
Sou ryca e mto phyna, pois aprendi que posso mudar sempre que julgar necessário! ;oDD

Xêros, amada!
Paty

Lu Souza Brito postou o comentário número:

Fê,

Eu peguei só o finalzinho do programa. São ensinamentos que a maioria nao consegue passar aos filhos, esta que é a verdade.
Parabéns a essa família. É também o tipo de coisa que gostaria de passar aos meus futuros filhos, se um dia os tiver.
Beijos

Letícia de Alarcon postou o comentário número:

Não podia deixar de comentar esse post. Assisti o programa e fiquei emocionada com a história dessa família. Sou professora em uma escola com crianças e adolescentes muito pobres. Pais presos, mães drogadas... Uma história pior que a outra... Mas eles estão lá, todos os dias, caderno na mão, tentando contornar a pobreza, a solidão, a miséria e a falta de oportunidade... Tenho orgulho de ser professora deles, estou sempre incentivando e ajudando, porque tenho certeza de que eles vão ser vencedores. Se quiserem conhecê-los, temos um blog da escola (msvargasferraz.blogspot.com). Deixem um comentário de incentivo, eles vão adorar!
Obrigada!

Juliana! postou o comentário número:

Que orgulho eu senti dessa familia :)
Muita dedicação,amor e honestidade.

Beeijos

Flávia Souza postou o comentário número:

Não resisti e "facebokei" sua postagem. Agora vou correndo assistir o programa pela Net. Bjs

Flávia
www.conexaoflavia.blogspot.com

* ah, aproveito para te convidar para participar do sorteio do blog:
http://conexaoflavia.blogspot.com/2011/06/sorteio-brilho-conexao-flavia.html

Márcia (www.sutiadeorelha.blogspot.com) postou o comentário número:

Querida Fernanda,
Não assisti a esse episódio em particular do programa, mas confesso que só de ler seu post, me arrepiei. Os valores dessa família tão humilde, mas ao mesmo tempo tão grata por tudo que possui, mesmo que seja pouco aos olhos dos outros. Eu faço uma terapia meio alternativa (rs) e minha terapeuta bate muito na tecla da GRATIDÃO. Devemos mesmo ser gratos pelas pequenas coisas que temos.

Ainda, a comparação da outra blogueira foi muitíssimo feliz. Nós devemos educar nossos filhos para serem felizes, e não ricos, pois assim eles saberão o verdadeiro valor das coisas, não seu preço. Isso pra mim é uma verdade absoluta!

Beijocas
Márcia (Sutiã de Orelha)
@marcia2311

Denise David postou o comentário número:

Eu assisti ao programa e pasmei! Qt sabedoria desta mulher!
Mudando de assunto, fernanda, preciso passar 2 dias fora de casa e quero mt participar da blogagem desta semana: esmalte+livro.
Então te mando antecipadamente o link, ok?
Beijocas e belo fim de semana!
http://nisedavid.blogspot.com/2011/06/blogagem-coletiva-mesmo.html

Giuliana: postou o comentário número:

Oi Fê,

Que saudades estava sentindo de vir aqui. ;oD

Não assisti o programa, depois vou vê-lo pela net. Mas que é um exemplo lindo, isso sem sombra de dúvida. É digno de nos espelharmos, de absorvermos, pois tudo o que é bom e nos engrandece deveria ser assimilado, deveríamos trazer para nossa vida.

Por isso sempre falo que não acredito no argumento "o ambiente faz a pessoa", isso é muito relativo. Acredito que o ambiente nos proporciona escolhas, geralmente boas e ruins, e cabe a nós fazer a escolha que julgamos mais acertada, e então muitas vezes não é a melhor.

Porém, ver uma família com recursos limitados, mas com valores e princípios, um estilo de vida que só as leva a serem vitoriosas.

Um exemplo que quero seguir!

Beijos

Iris postou o comentário número:

Olá.
sou sua seguidora e depois deste post, fiquei tão comovida que resolvi mostrar para a minha filha. Para chamar a sua atenção em relação ao que temos e que não damos valor! Pois neste mundo consumista, esquecemos de dar valor na vida.
Obrigada por compartilhar! bjks.

Anna Rachel postou o comentário número:

Fê Querida, eu tb assisti a essa entrega do Lar Doce Lar e me emocionei ao ver tanta organização, planejamento, regra, disposição, perseverança, respeito, gratidão e AMOR numa família q falta tanta coisa.
A comparação feita com Thor Batista... ai.... tb a fiz. Foi inevitável, pois qdo li a Veja de alguns dias atrás e vi q o rapaz não terminou a faculdade e se gaba por munca ter lido um livro inteiro me revoltei.
É isso, exeplos como a da família das meninas é para ser divulgado e multiplicado.
Essa é a prova de q pobreza não é justificativa para desonestidade. Parabéns pela publicação deste post. ;D

Tri postou o comentário número:

Sabe que qdo vi chorei né?
Adorei, só vi o post hoje! mto bom!
beijo
Tri

Pri - Cantinho postou o comentário número:

Oi Fernanda!
Achei esse post explorando meus feeds e tinha que vim aqui postar para você agradecendo o compartilhamento de uma mensagem tão bela.

Não vi o programa, ando com pouco tempo para a TV, mas sempre me emociono com o quadro lar doce lar do Huck.
É realmente um bálsamo para as tristezas trazidas pelos telejornais, por tantos valores errados passados pelos programas de Tv, pelas novelas.

Bjos

Rose Misceno postou o comentário número:

Lindo demais o que vc escreveu!!! Por isso sou sua fã!
Acabei de ligar a TV pra ver, depois que vc tuitou: “@fernandareali: A melhor história de TODAS do Lar Doce Lar no @CaldeiraodoHuck As Meninas Ricas http://bit.ly/xLrfUD”

As redes sociais nos trazem coisas boas também!!

Beijão.

Neli Alves postou o comentário número:

Que pena, eu não vi.
Mas li o post e me emocionei.
Eu admiro a sua sensibilidade.
É bom saber que todos tem alguma coisa para doar. Algumas pessoas só pensam em ter e continuar recebendo. Outras, embora não tenham, repartem o pouco que recebem. Lição de vida, mesmo.

Bjks.

Dani Pivatelli postou o comentário número:

Adorei o post!!! Vou ver o link do programa!

Bom, depois do Lufe, eu nem tenho o q que dizer: mesmo sem ainda ter visto, eu já adorei o ex delas!!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Voltar ao topo Real Time Analytics