quinta-feira, 14 de julho de 2011

Meu Filho Não Come Nada!




Guga não come nenhuma fruta e nenhuma verdura. Detesta carne, frango e peixe. Odeia pizza, cachorro quente e churrasco. Estava cansada de inventar coisas sem ter resultados. Então, decidi seguir os 10 passos propostos na Revista Claudia Bebê. Não consegui solucionar, mas ele melhorou bastante.



Texto retirado da Revista Claudia Bebê 2007

Guerra para comer?


Se seu filho trava a boca e olha para você com ar de desafio, o melhor a fazer segundo 100% dos pediatras e nutricionistas é não dar bola. É você quem tem de mudar de estratégia para acabar com as batalhas nas refeições e restabelecer a paz à mesa. Siga nossas instruções e a gente garante: ele vai comer direito


Ana Leite



Hora do almoço

Lucas, de 1 ano e 8 meses, senta-se no cadeirão e, fazendo careta, balança a cabeça quando a mãe, a oftalmologista Lucila Nogueira, 33 anos, oferece o prato com um suculento bifinho e abobrinha refogada. "Vai começar tudo de novo!", pensa Lucila, exausta e já sem esperanças de que o filho algum dia venha a comer direito. Se você achou que estávamos contando a sua história, já adiantamos que o final é feliz: depois de ouvir o pediatra, a mãe decidiu que, se Lucas não queria comer, ela não insistiria. 

O coração estava apertado, mas ela se lembrava das palavras do médico: "Que fique sem a refeição! Já viu alguém com fome recusar comida? No jantar, ele certamente vai comer o que tiver no prato". "E, até o jantar, ele fica sem comer e morre de fome?", havia perguntado a mãe, preocupada. "Isso mesmo", dissera o pediatra. "E nada de bolachinhas no intervalo." 

Depois de ouvir algumas vezes a garantia de que o organismo de Lucas tinha reservas suficientes para pular aquela refeição, ela resolveu adotar a tática de guerra e logo pôde respirar aliviada. Em cerca de 15 dias, Lucas passou a comer a quantidade adequada de comida, incluindo salada e até a abobrinha para a qual havia torcido o nariz no começo da história. Milagre? Não. 

O problema se resolveu por dois motivos: Lucas entendeu que a comida deixara de ser uma forma de chamar a atenção da mãe, já que ela não estava mais tão preocupada com o que ou com quanto ele estava comendo; e também porque Lucila diminuiu o grau de expectativa que estava depositando na alimentação do filho. "Admiti para mim mesma que ele não ficaria anêmico nem morreria de fome." 

Imagem do pratinho que fiz para a Helena no dia em que ela caiu na escola e não queria comer, porque tinha machucado a boca. Ela amou e comeu tudo! Guga comeu o dele, mas sem o brócolis.






Os 10 passos para não enlouquecer (enquanto a guerra durar)

Algumas atitudes que ajudam você e seu filho a botar ordem na mesa

1 • Lugar de comer é na cozinha, na copa ou na sala de jantar. E em nenhum outro lugar, sem negociações!

2 • Rigidez também com o horário. Não comeu na hora certa, terá que esperar a próxima refeição. Uma sugestão é servir às 7 horas o café da manhã, às 10 o lanche matinal, às 12h30 o almoço, às 16 horas o lanche da tarde e às 19 o jantar. Não deixe intervalos longos entre as refeições para que ele não ataque bobagens.

3 • Organize um cardápio variado, pois, assim como vocês, seu filho também não agüenta a monotonia do arroz, feijão, bife e batata todo dia.

4 • Siga a quantidade certa para a idade de seu filho. Não adianta fazer um prato de peão quando ele só consegue dar conta de uma xícara e meia de chá de comida.

5 • Jamais insista para que ele coma só mais uma colherada. É bom que ele aprenda a parar quando estiver saciado. Quem ingere mais do que necessita desenvolve tendência à obesidade.  

6 • Sem aviãozinho, livrinhos, TV ou brincadeiras na hora da comida. Seu filho precisa prestar atenção no que está ingerindo para que o ato não se torne mecânico.

7 • Em hipótese alguma substitua parte da refeição ou toda ela simplesmente porque seu filho não quer um determinado alimento. Assim como os adultos, os pequenos também têm preferências. O mais importante é manter uma dieta equilibrada na média.

8 • Chantagem não vale. Nunca diga: "Se você comer brócolis, vai ganhar chocolate". Além de oferecer munição para ser manipulada, você está reforçando a idéia de que brócolis é horrível e só vale a pena comer se houver uma boa recompensa.

9 • Não esconda a verdura embaixo do arroz com feijão. Uma relação verdadeira se constrói também na hora de comer.

10 • Se o seu pequeno se machucou, não dê a ele comida como forma de compensação. É meio caminho andado para gerar adultos com problemas com a balança, porque aprenderam a afogar as mágoas no alimento. Tenham certeza de que o que estão fazendo é o correto, pois a criança percebe o grau de segurança dos pais e é isso que garantirá o cumprimento das regras.


Tem salvação!
Mesmo que, ao ler esta reportagem, você descubra que não está fazendo a coisa certa, dá para recuperar - na boa - o tempo perdido. Para garantir o sucesso da operação, você deve...


• Ter certeza de que quer mesmo mudar a situação em que se encontra. Assim, você ficará mais forte -para agüentar os choros e as birras dos primeiros dias da reeducação.


• Determinar quais são as novas regras de alimentação em sua casa (horários certos, local adequado, mesmo cardápio da família) e explicar à criança, com calma e em tom seguro, como as coisas funcionarão dali para a frente, 
mesmo se achar que ela não está entendendo nada. Esse ritual de passagem é importante também para você.


• Revezar com outra pessoa a tarefa de alimentar seu filho. Use situações que deixem você menos ansiosa (como brincar, cuidar da higiene, colocar para dormir) para demonstrar afeto.

• Fazer uma auto-análise em relação aos hábitos da família. Pais que não têm horário para comer, só comem bobagens e não demonstram prazer pelos alimentos não podem exigir que os filhos sejam exemplo de boa conduta à mesa.

• Convencer-se de que ele não vai ficar desnutrido se comer quase nada ou mesmo se não fizer uma refeição inteira. Se a apetência dos adultos varia, por que é que as crianças têm que comer diariamente um prato cheio?


*

Eu adoro esta reportagem da Revista Claudia Bebê e tento seguir desde 2007, mas uma coisa eu não sigo.  Eu disfarço os alimentos do Guga para que ele coma. 

Veja no post "RASPANDO O PRATO" as imagens dos meus truques.

Se você tem um truque bom, me conte!



49 comentários:

josianaleite.leite@gmail.com postou o comentário número:

Olha minha filha para comer é sempre uma novela, eu acho que ela sabe que isso me afeta e usa isso para me manipular. ela almoça na escola onde come normalmente toda refeição e com migo fiz um cardápio só dos pratos que ela gosta, tenho que seguir essas regrinhas, rss. Um grande abraço
Josiana Leite -Decorafino

Cantinho das Artes postou o comentário número:

Olá Fer,
Minha amiga de trabalho tem esse mesmo problema com o filho dela ele só come batata, arroz, coxinha e pastel só a massa.
Como é difícil né vou mostrar esse post para ela.
Bjinhos no coração

Márcia[madamexereta] postou o comentário número:

Olá,Fernanda!
Concordo plenamente com cada palavra postada.Os pequenos são danadinhos na arte de manipular e a gente não pode nem deve ceder.Parece difícil,mas sempre funciona,sem dúvida!
Beijo!

Bia Jubiart postou o comentário número:

Fernanda, fui lendo e lembrando das peripécias que faço p/ o Izaias comer legumes... Pois, rsrsrs, como vc camuflo: Beterraba cozida no feijão (ele adora feijão), cenoura e tomate, vira "tomate ao sugo", sopa de legumes vira um caldo cremoso (batida fica uma beleza!).

Parece que aqui não vale "criança aprende fazendo e olhando os outros fazerem", em nossa mesa sempre tem uma salada variada, com muito esforço ele só belisca a alface... Pode?

Xiiiii, vou fazer um tratado! Valeram as dicas, sempre ajuda.

Sonhe com os anjos!

Bjsssssssss

Celena postou o comentário número:

Olá Fernanda, to passando por essa angústia,,, minha filha de 3 e meio, resolveu , que não quer comer nada, só quer leite com achocolatado.Nossa estava muito triste com isso não sabia oq fazer, aí mudei de pediatra e ela me deu, ótimas dicas com relação a disciplina na hora das refeiçoes e acho que ja to notando o resultado...primeira dica ter muuuita paciência e não ceder as chatagens emocionais que são muuuuitas...bjoca.

Elaina postou o comentário número:

Eu já tentei tudo isso e NADA, ABSOLUTAMENTE NADA funciona!

Meu mais velho (hj com 4 anos e meio) já ficou 24 hs sem comer!!! E no dia seguinte continuou comendo muito pouco e o que ele sempre gosta de comer… E com o mais novo, sempre que tento fazer esse negócio de "pular uma refeição não faz mal" ele fica doente, se pula alguma refeição, posso ter certeza que no dia seguinte está doente, com febre e vomitando…

Realmente já tentei de tudo, e a única coisa que funciona é: bato os legumes junto ao feijão e misturo no arroz, tenho sim horários rígidos para as refeições, mas todas devem ser na frente da tv, pois se percebem que estão comendo param na hora e tudo vira um caos!

Eu já não me preocupo mais, pois sei que isso tb é só uma fase (mais demorada) mas como tudo na vidinha deles, vai passar! E até lá faço assim do meu jeito pq está funcionando…

Bjos

Elaina Furlan #amigacomenta
http://www.vidademae.net/

Vanessa Nascimento postou o comentário número:

Oi!Hj é a primeira vez que comento. Li esse post e não resisti. Tenho um filho hj c 13 anos. Nossa, ele é terrível p comer. O Gabriel tb n come frutas e verduras, mas come todo tipo de carne. Eu forço um espinafre no arroz e um cenoura tb. Ele é assim desde os 2 anos, agora come mais um pouco, mas ele é mt chato. Não come qualquer biscoito, n toma iogurte, chocolate só se for ao leite. E olha, já tentei a tática de não dar besteiras e deixar p ver se ele come a comida, mas confesso que não consegui. O bichinho ficava fraquinho, se jogava na cama e ficava lá o dia inteiro, e o coração de mãe apertava e preparava algo que ele comia. Desejo sucesso p vc com o Guga!
Bjs!!

http://ojardimdaborboleta.blogspot.com/

Marta Melo postou o comentário número:

Fernanda me identifiquei com este post o meu Gustavo que tem hoje 22 aninhos sempre se alimentou muito bem mais por volta dos 5 anos foi um sufoco fazia que nem o post desenhava uma ilha com arroz o feijão era o mar os legumes erão tubarões o bife um barquinho no oceano, e ai vai história...Dava certo mais aja paciência. Calma esta fase passa e muito rápido depois vai ficar igual ao meu Gu e o meu Gabriel de 16 anos comem até a mesa, kkk.Beijos
www.martammello.blogspot.com

Ivonete postou o comentário número:

Olá Fernanda!
Já passei por isso! por experiência, não tenha regras muito rígidas, eu fui muito rígida agora me arrependo.
Um dia eu farei alguns depoimentos título: mãe arrependida rsss.
beijocas!!!

Ivonete postou o comentário número:

Fernanda!
Como estou feliz, hoje consegui comentar em seu blog, não sei porque só consigo comentar em 5 por cento dos blogs que eu visito!Fernanda seu blog esta cada vez melhor, continue assim; as vezes eu aprendo as vezes eu rio e outras choro, enfim eu amo o seu blog!
beijocas!!!

Coisas de Ceci postou o comentário número:

Fernanda, um truque que usei foi acrescentar soja na carne moída e nos recheios de torta salgada de frango.Um dia fiz sem soja e não gostaram disseram que estava diferente,ruim. Aí contei o truque! Hj os dois meninos são dos rapazes e comem soja sem fazer cara feia

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez postou o comentário número:

as japas, vc sabe...é o bento enfeitadinho, a criançada detona tudo.

as dicas são ótimas. e claro, criança que não come, deixe com fome. na próxima refeição ela comerá. no fundo tem um quê de educativo: chances desperdiçadas (que seja a "chance" de comer) resultam em fome, falta, prejuízo.
Errada está a mãe que cede aos caprichos mimados. O filho cresce achando que birra faz ganhar o mundo e vira aquele moleque chatinho que todo mundo adora socar na escola. Porque ele aprendeu que na birra ele conseguiria o doce, o carinho...e tenta reproduzir O QUE SABE fora de casa.

Graças a Dios vc não é uma mãe K-gada, mais infantil que os filhos...

é isso ai
bjs

Angela postou o comentário número:

Olá Fernanda, tenho 3 filhos e por incrível que pareça, nunca tive estes problemas.
Só o mais velho, hoje com 21 anos, nao come peixe, mas no resto, os 3 comem muiiiiito bem.
Nunca os forcei a comer, sempre colocava no prato e eles comiam.Brócolis nao pode faltar aqui em casa.
Tenha paciência que logo o seu menino vai comer sem parar (na adolescência eles comem muito),rsrsrs!
Beijos e uma ótima semana.

Bia Jubiart postou o comentário número:

Bom dia Bella!

Só p/ lembrar: Amanhã Vamos "Celebrar a Vida Com..."

Beijooooo

Cibele postou o comentário número:

Fer, meu filho é o oposto, não sei o menino come até chuchu, vdd, rsrsr
carne, frango, peixe, salada, nunca tive esse tipo de problema, o negocio dele não é bobeira não é comida mesmo, tenho que agradecer muito, pois nunca tive problemas em relação a isso.

Beijokas

Turquezza postou o comentário número:

Ansiedade de mãe e birra de filho:
estopim para o futuro rsrs
Ótima esta reportagem.
Com paciência e orientação de pediatra tudo fica mais fácil, com certeza.
Mamães, aprendam ...... e sejam mais felizes com seus filhotes.
Beijos.

Elaine Gaspareto postou o comentário número:

Fernanda,
eu tenho uma sobrinha, a Raíssa, hoje com 16 anos. Quando ela era pequena minha cunhada penava com isso: Raíssa não comia.
A Silvana agia assim: comeu, bem. Não comeu? Só na próxima refeição então. E nada de bolachas...
A menina chorava de fome, isso durou 1 ano! Mas a mãe não cedeu, e aos poucos ela aprendeu que se não almoçasse iria passar fome porque não teria substitutivos ao longo do dia.
É fato: ninguém morre de fome com o prato ao lado. A menos que esteja doente, claro.
Beijosssssss

Fabiana postou o comentário número:

Fer!

Esse é um grande dilema pra mim com a Julia.
Ela come quando quer, as vezes pede sopa, faço ela quer caldo de feijão, faço caldo de feijão ela quer sopa, totalmente do contra, evitamos dar coisas fora de hora pra ela e ainda sim ela come bem pouco.
Agora uma coisa que acho ótimo e que ela adora frutas, todas (aliás mamão não come desde bb) mas outras frutas ela come super bem, laranja, manga, morango, banana, abacaxi, kiwi, enfim come todas as frutas muito bem, minha salvação.
Segundo o pediatra dela ela não come porque não está com fome, não é pra forçar, mas como uma mãe tem sossego nessa vida se a criança não come bem?
Outra coisa, agora que ela tem tomado duas mamadeiras de leite ao dia, iogurtes não gosta, ela tomava muito suco de soja mas agora também enjoou...
Eu vivo numa luta diária com a alimentação da Julia.
Já fiz aquela sopinha batida e coloquei no meio da comida, ela como bem pouco...
Tenho enfeitado os pratinhos na hora de servir, comprei talheres diferentes, jogo americano, copos enfim tenho tentado de tudo, não é fácil!

Vamos seguindo assim, mas fico sempre preocupada que estejam faltando vitaminas importantes pra ela.

Bjos, Fabi

Adriana Balreira postou o comentário número:

Fer,
não tenho filhos mas posso falar da minha própria situação. Quando criança era ruim para comer. Era magra de dar dó, mas minha mãe nunca me forçou a comer, muito pelo contrário. Ela dizia assim, quer comer coma, se não pode ficar com fome. E lógico que não morri e ainda estou aqui para dar meu testemunho. Sou a única lá de casa que come de tudo hoje em dia e não recusa comida alguma. Porque os dois mais velhos minha mãe tinha a visão de toda mãe de forçar a comer, comigo ela fez ao contrário e deu certo. Com os meus sobrinhos também é do mesmo jeito, quer comer ótimo, senão podem ficar com fome. Comem de um tudo! A revista está certissima quando diz que a criança só quer chamar a atenção, quando vê que não funciona, muda.
Boa sorte com o Guga.
Beijos
Adriana

ミ★ є∂ι ★彡 postou o comentário número:

Oi Fê, vou seguir essas dicas para tentar fazer meu filho Gabriel comer melhor. Tem sido tão difícil faze-lo comer que tenho sentido saudades da época em que era um bebezinho e adorava as papinhas...
Será que consigo????? rs

Obrigada pelas dicas.

beijos Edi

Bibia Bueno postou o comentário número:

Vou imprimir para o meu marido, ele que dá almoço para nossa filha e é uma luta, viu? Se der resultado posto contando...

Bia Jubiart postou o comentário número:

Fernanda, vim agradecer!

Indicar o blog da Eva já foi um presente antecipado. Vou tentar fazer a cabana...

Beijãoooooooooo

Cristina postou o comentário número:

Oi Fernanda, relamente a alimentação dos filhos ainda mais qdo são pequenos é um dilema e uma preocupação pra muitas mães. A Alice com quase dois anos é danada a verdura e a salada ela joga pra fora do prato, tem que ter muita paciência mesmo e ser rigorosa qto aos horários, aprender que eles não morrerão por inanição se pularem uma refeição. Agora o problema são as mães entenderem isso,né? Beijinhos pra você e uma ótima semana, fazia tempo que eu não comentava por aqui mas sempre espiava.

lilian vieira postou o comentário número:

Oi Fernanda, a briga aqui em casa é para não comer, minhas crianças sempre comeram de tudo até brocolis, o problema é que o mais velho está acima do peso( estamos fazendo reeducação alimentar).
bjos.
http://mulhersuper.blogspot.com

Lu Souza Brito postou o comentário número:

Oi Fernanda,

Excelente estas dicas. Eu como nao sou mae fico so de longe apontando o dedo para minhas irmas / amigas, que cedem aos mimos das crianças, fazem trocas enganosas, affffffff, odeio presenciar isso.
Misturar uma verdura ou legume para a criança nao ver tá tranquilo, mas dizer ' coma quiabo que eu te levo no parquinho' para mim é o fim. Ela permite a manipulação e conforme a criança vai crescendo e entendendo, fica dificil contornar.

Olha, vim saber da promoção Enxaqueca. Diz que esse livro já é meu, diz, ahahahahahaa.

Beijos

Marcia postou o comentário número:

Quando eu era criança se não quisesse comer algo que estava no prato azar o meu...nada era substituido, pelo contrario, disputavamos o que tinha com medo de ficar com fome. Sabiamos que era aquilo ou nada. Minha mãe tinha 5 filhos e pouco tempo pra bajular cada um. Hoje em dia as crianças tem muitas opçoes e mães preocupaas demais com o assunto. Cocordo com o Alexandre, se ficar com fome come, e com gosto!
Mas errei com meu filho, que tem 15 anos e luta com a obesidade. Me dava prazer ve-lo comer, eu me sentia uma mãe perfeita quando ele raspava o prato...ERRO!!!!

Lola postou o comentário número:

Sabe Fer, eu não ligo muito se meus filhos não comem. O Rô é um problema até hoje mas desde pequeno eu percebi que quando a fome aperta, ele raspa o prato! Então não insisto. Não comeu, na próxima refeição ele come. E assim é, tanto que Rô, apesar de magrinho, quase não fica doente, ao contrário do Thi, que come muito, morre de fome, é fofinho, mas tem mil alergias, sempre tá resfriado, febril, etc...etc...hehehehe

Bjs

Angelita postou o comentário número:

Fernanda o meu Lucas é dessa história,tudo igual até a tática da pediatra fiz exatamente igual e venci,já c/ a pequena que hoje tem três anos,fiz ao contrário como c/ o Lucas ,não me preocupava c/ o que ela comeria,não quer comer não coma,sirvo o meu prato e ela começa a me pedir o que tem nele e não do dela que tem a mesma coisa.Final feliz ,não , ela usou outra tática p/ me chamar atenção,quer que eu dê a comida na boca dela,estou c/ outra guerra porque agora não quer comer,não dou, se ñ quer ñ come ,sei que vou vencer .Temos que ser fortes porque esses pequenos são adultos disfarçados de criança kkkk sabem muito manipular a gente.Com a tática de comer do meu prato a única vantagem e muito grande ,porque são poucas crianças que comem,foi que consegui que ela fosse adepta da salada e qualquer comida,pelo menos isso.BJUS linda !
www.maeemulheraomesmotempo.blogspot.com

Joseane postou o comentário número:

Acho que toda mãe passa por essa provação, fazer com que seu filho seja bom de apetite.
beijão.
www.tudonanecessaire.com

Mariela postou o comentário número:

Oie Fernanda!!!
Aqui em casa também é um sufoco e olha que a Duda tem 10 anos e não come carne, isso me deixe super preocupada, não come nenhum tipo de carne e nem verdura ah lembrei só batata e tem que ser pure oh menina dificil eu tento mais nao adiante ja adotei varias tecnicas, mais é dificl as vezes no pastel ela come, mais é raro jah a mais velha a Emily de 12 anos é carnivora, não fica sem carne adora qualquer tipo e de qualquer jeito mais não gosta de fruta, nenhuma eu tento de todas as formas mais é dificil mais como ela come verdura nao me preocupo com a falta de fruta na sua alimentação. Aqui em todas as refeição a família toda se reuni em volta da mesa sem TV, é um momento aonde sabemos que todos vão estar presente e tento ensinar que não tenham pressa ao comer e mastigar, para uma boa digestão.


Bjs.
Mariela Araujo.

Gileide postou o comentário número:

Oi Fernanda

Tem um selinho no meu blog para você!!!

http://mypinklittleworld.blogspot.com/

bjs

Géssica Maciel "Petit Pois Lilás" postou o comentário número:

Oi Fê!

Adorei o post. Apesar de meus filhos não terem, nem nunca terem tido problemas para comer, desde que eram bebês (hj o mais velho tem quase 6 anos e o caçula tem 2 anos e meio), sei que em mtas famílias esse problema é real e acaba afastando pais e filhos e tornando a hora de comer, que era para ser um momento de satisfação, harmonia e boa convivência, em um total pesadelo.

Só queria acrescentar uma observação... Creio que cada lar tem sua própria receita que faz as coisas acontecerem de maneira tranquila e única. Cada família funciona de um jeito. Reconheço que algumas regras são universais e assim são por um motivo: por funcionarem com a maioria e tornarem as coisas mais fáceis.

Mas algumas dessas regras eu não aplico aqui em casa e mesmo assim, pra gente, funciona bem.
Quer um exemplo? Fui criada com uma educação mto rígida por parte do meu pai, cheia de regras e horários. Algumas dessas regras eu aplico na educação dos meus filhos, outras não. Na minha infância, sempre fazíamos as refeições à mesa, na cozinha. Já com meus filhos, sempre, desde que eram bebês, eu já levava o cadeirão para a sala e sempre os alimentei lá.
Não gosto das crianças convivendo no ambiente da cozinha, que para mim é local de mtos perigos para quem tem filhos pequenos, e por mais que os mantenhamos a salvo de materiais de limpeza, remédios e objetos pontiagudos, qndo se trata de crianças a chance sempre existe...

Então, desde que meus meninos começaram a engatinhar, tratei de pôr uma portinha no acesso à cozinha e lá é território proibido para eles. O mais velho entra e sai da cozinha sempre que quer pegar algo para comer, e o mais novo, de 2 anos, só entra com a minha supervisão.

Então, embora meus filhos não façam suas refeições na mesa, esse não é um pretexto para que a hora de comer seja uma guerra, seja desregrada ou que não hajam limites.

O que quero dizer é o que nós mães sabemos de carteirinha:
Há excessões em toda regra e que cada família tem seu manual de funcionamento. O que funciona para a minha pode não funcionar para outra, mas que funciona bem para a minha, funciona!

Meus filhos comem de tudo [óbvio que os dois têm suas preferências com alguns alimentos, mas os ensino a provarem de tudo], fazem suas refeições nas horas certas, e só se levantam qndo terminam a comida.

Seu post está perfeito! Quem tem filhos em casa com dificuldades para comer tem mesmo é que aplicar essas dicas pois elas facilitam o processo, e em certos casos, salvam algumas mães da loucura!

Ah, só pra não esquecer: adorei a observação do Alexandre Mauj!

Bjukas =]

Beth Matos postou o comentário número:

A filhinha da minha prima dá muito trabalho pra comer, mas eu acho que é culpa dos pais dela, que deixam ela comer besteiras sempre que ela quer...
Aproveitando o meu comentário, tem selinho pra você lá no meu blog!
Assim que puder dá uma passadinha por lá.
Beijocas...

Patricia Daltro postou o comentário número:

Aqui em casa, temos uma briga constante. Tem períodos que Dani cede e come um pouco, tem períodos que posso deixar 24 horas sem comer nada, que ele continua sem comer o que não gosta.
Adotei a estratégia da comida disfarçada, antipedagógica ou não, é o que dá certo por aqui e logo ele cresce e essa fase chata passa.

Bartinha postou o comentário número:

Ai Fernanda, esse assunto me mata. Meu filho é um mala no assunto comida.
Ele pelo menos, toma uma sopa tipo esse pure que vc faz (no post "
raspando o prato")
Então, pelo menos 3 vezes na semana o menu é sopa.
Feijão. Só o caldo, separado.
Diferente do seu filhote, o meu adora as besteiras do dia a dia, como é difícil lidar com isso.
Bem, vou tentar implementar essas regrinhas básicas e ver o que consigo.
Bjs.
Bartinha

Rosana Francisco postou o comentário número:

Fernanda e meninas aqui presentes..pra alegrar o dia de voces e dizer que nem tudo esta perdido...meu filho que hoje esta com 22 anos so começou comer mesmo bem e comida "normal" qdo completou 20 anos...hoje ele come "tudo" quer dizer melhor que antes rsrsrsr...me atormentou a vida toda, não comia nada, nem arroz com feijao pra vcs terem uma noção..mas tai, fortao, saudavel, nunca teve uma anemia..fiquem tranquilas, esta fase passa e qdo eles sentirem vontade de experimentar alimentos diferentes e saudaveis com certeza o farao....nos é que somos bobinhas achamos que eles vao morrer de fome, que nada...relaxem,mais facil nos ficarmos doentes de preocupção que eles ficarem doentes por falta de comida..kkkkkkkkkk

bjossss em todas..Rosana

Freya postou o comentário número:

Nossa, meu filhote come muito bem! Quando está com fome, e almoço ainda não saiu, ele chega na cozinha procurando coisas, e consigo "enganá-lo" com uma cenoura crua. ele adora...

Dá uma olhadinha aqui, o que ele fez com a sopa de beterraba dele: https://cozinhasigel.wordpress.com/2011/06/24/7ª-sopa-de-beterraba

Beijinhos

Neli Rodrigues postou o comentário número:

Fer, nunca obriguei meus filhos a comerem, pois quiz cumprir uma "promessa" de infância...qdo eu criança eu era um terror p/ comer, minha vida era um inferno na hora do almoço, todo dia minha mãe brigava comigo, eu enrolava até a comida esfriar e ficar com aparencia de ressecada,minha mãe me ameaçava, eu chovara e nestas horas eu prometia p/ mim mesma que NUNCA iria obrigar meus filhos a comerem. Eu cumpro o que prometi, meus filhos comem bem e como vc disse não precisam comer feito peão de obra, são de "lua" tem épocas que adoram verdura, em outras exigem salada de tomate todos os dias, as vezes escondo a abóbora amassada no meio do caldo do feijão e se começam a não comer direito não deixo comer besteira fora de horário. Procuro dar bons exemplos, mas excluo meu marido, pois ele não come nenhuma verdura ou legume, vc acredita?
Bjs♥

Anna Rachel postou o comentário número:

Fernandoca do Céu... só mesmo sendo mãe para ter conhecimento nesse assunto. Adorei seu post.
Agora entendo pq minha mãe fazia pratos bonitos, desenhados e coloridos com a comida. Acho q eu e meus irmãos comemos quase td devido a isso.
Outra coisa q eu sempre questionei eram as regras dadas à nossa babá e deixadas naquelas fichinhas q eu odiava. Hssss
Hj percebo q somente sendo mãe entenderei perfeitamente esse universo. ;D
Bjs e obrigada pelos incríveis posts q vc publica. Parabéns lindona!

Rosee postou o comentário número:

As vezes até chorava, pois os filhos de amigas eram gordinhos, e o meu era pele e osso. Eu vivia só pr tomar conta dele.
Um dia parei de tomar café com leite, pois achava q aquilo me engordava, e, se me engordava... iria engorda-lo também. Passei a dar 3x por dia a ele uma caneca de café com leite e VITAMINAS DO COMPLEXO B. NOSSA!!!! foi ótimo. pois as vitaminas que o PEDIATRA PASSOU NENHUMA FUNCIONOU, NENHUMA MESMO! Ele ficou gordinho e lindo!
Eu recomendo!

Rosee postou o comentário número:

Fernanda, se for possivel, gostaria de uma informação.
Estou sem trabalhar e gostaria de montar um blog para vender algo.
Eu posso colocar foto dos produtos e preço também, ou é proibido?

Amei seu blog!
Fica com DEUS.
pegazus-2233@hotmail.com

Tri postou o comentário número:

Fer,
sei que é meio duro o que vou falar... mas sabe o que um pediatra ensinou para minha tia: colocar o prato, marcar um tempo x (considerado normal para a criança comer) e se não comer tirar o prato. Na próxima refeição oferecer o mesmo prato. E assim por diante para saber que é isso que tem para comer e é isso que vai se comer no dia de hoje. Minha tia não teve coragem de colocar o mesmo prato, mas colocou a mesma comida. Várias vezes até minha prima entender... não vou dizer que melhorou 100% mas ela parou de só comer carninha (hambúrguer em pedacinhos ou carne moída), arroz, ovo e feijão.
Beijo
Tri

Sheila Oliveira postou o comentário número:

oi Fernanda, nossa achei seu blog por acaso , estava vendo seus post, eis q achei esse...poxa passo por este problema,vou colocar essas dicas em prática com meu filhote já estou te seguindo, visite meu blog: http://sherubia.blogspot.com/
abraços

Arts Pintura Caixinha MDF e Decoupage postou o comentário número:

Boa noite estou muito preocupada meu filho tem 6 aninhos ele não come nada ,não come feijão nem carne nem verdura nem lasanha nada de diferente que eu faça ele emagreceu muito esta com olhos bem estatelados ele só come arroz estek de frango hambúrguer batata frita pãozinho e só eu acho que ele esta desnutrido sem a vitaminas necessárias no corpo oque faço pra ele se empolgar a comer Obrigado.

KEYLLA postou o comentário número:

Boa tarde Fernanda, gostei muito da matéria pois tenho uma dúvida, como fazer com um bebê de apenas 6 meses que ainda não entende nada...já dei de tudo, mas ele chora só de ver a colher ou a mamadeira, ja estou em estado de desespero total, não sei o que fazer nem como fazer, e pra piorar ele ta abaixo do peso, e não tem mamado como antes, o medico receitou uma vitamina estou dando, mas ainda sim me sinto insegura demais, primeiro filho, muito esperado, o medo dele ficar doente é muito grande, por favor me de uma ajuda....alguem mais que tiver uma boa dica meu email eh keyllinha.anja.gomes@hotmail.com aguardo socorro!!bjs

Mariana Abreu postou o comentário número:

Olá,
Sou a pesquisadora de personagens do programa do Canal GNT que estréia em abril chamado: Socorro, Meu Filho Come Mal!
Gostaria de saber se algum pai ou mãe da cidade do Rio de Janeiro se interessa em participar. Abaixo seguem alguns detalhes do programa e da pesquisa.
O PROGRAMA :
"Socorro, meu filho come mal!" é um reality sobre alimentação infantil, comportamento e família apresentado pela nutricionista Gabriela Kapim que tem grande experiência em ajudar as famílias a resolverem questões relacionadas a diferentes dificuldades alimentares. O programa irá ao ar no canal GNT em abril de 2013.
A idéia do programa é ter em cada episódio uma criança com alguma questão alimentar diferente. A Gabriela Kapim vai conhecer a dificuldade de cada criança e propor um plano de ação personalizado para ser colocado em prática pelas famílias. A intenção é que haja uma transformação positiva na rotina alimentar da criança.
A gravação será feita na casa da criança e em algumas situações que retratem a questão alimentar tais como escola, festas e passeios, dependendo de cada caso. Também serão propostos passeios com a nutricionista onde a criança poderá ter alguma experiência nova com os alimentos (supermercado, feiras, restaurantes, prática de esportes ou piquenique).
O número de gravações será de acordo com cada caso, mas em média de 3 a 5 dias (não necessariamente o dia inteiro).
O intuito é ajudar a família a lidar com a dificuldade e promover uma mudança que se reflita no bem estar de todos na casa!
A PESQUISA DE PERSONAGENS :
Meu nome é Mariana Abreu, sou a pesquisadora de personagens do programa “SOCORRO, MEU FILHO COME MAL!”, do Canal GNT, produzido pela TVZERO, responsável pela seleção de famílias interessadas em participar das gravações.
Nesta primeira etapa da seleção das famílias, enviaremos uma ficha para obter informações sobre a criança e a família. Caso o personagem seja escolhido nessa primeira etapa irei à casa da família e farei uma breve entrevista com a própria criança e seus pais. Este material será avaliado e, sendo aprovado, fará parte do programa.
Para participar, é importante que a família tenha disponibilidade para a captação de imagens da criança e para uma entrevista com os pais (mãe ou pai) – junto à nutricionista Gabriela Kapim.
Meu email de contato é o rjmarianarj@gmail.com.
Obrigada,
Mariana.

ÁGUA FRESCA postou o comentário número:

Fer, li varios comentarios qui, mas preciso de ajuda..Meu filho tem 13 anos e odeia arroz e feijão..na hora da comida nao quer comer, diz que nao tem fome..impossivel, vai a escola cedo e so toma um leite..no lanche, ele come um pao com frios e no almoço, nada...to desesperada. Ja motei cardapio com ele. Ele diz que eu cozinho mal..as vezes quer somente massas...ou lanches, o que eu faço, de verdade....(meu email sheilab.brasil@gmail.com) obrigada

ÁGUA FRESCA postou o comentário número:

Fernanda, li varios posts aqui e resolvi pedir help. Meu filho tem 13 anos e odeia arroz e feijão..nao sei mais o que fazer para ele comer. Diz tbem que eu cozinho mal..se deixar ele come lanches e mistura e quando ele quer...massa ele come bem, mas prefere sem molhos, pensa!! to desesperada. Acorda e vai a escola, toma um leite, no lanche um pao com frios e almoço nada!!! help me, nao sei mais o que fazer, ja tirei o beisebol que ele ama fazer pq acho que um dia ele desmaia....me ajude..fico triste e desesperada;;;

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Voltar ao topo Real Time Analytics