quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Atitude ou Falta de Atitude: Escolha!


Os dois últimos posts sobre comportamento renderam e-mails com muita emoção. Vou publicar alguns, mesmo tendo que reprogramar os posts. Hoje seria dia de mostrar uns livros bacanas e amanhã seria dia de filmes, mas novas histórias surgiram e penso que podem ser mais úteis aos leitores neste momento.





imagem daqui - Seduction - artista Natalie Svard


Leia o que a minha amiga querida escreveu e me autorizou a publicar:

"Eu fui uma criança magrinha, tão magrinha que achavam que eu não iria "vingar" como dizem aqui no interior. Ledo engano. A magreza durou até a entrada na puberdade, quando enfim a genética se manifestou. Então, desde a adolescência eu sou gordinha, sobrepeso de verdade. Isso não interfere em nada em minha vida. Claro que a obesidade tem fatores de risco, requer cuidados, e claro também que eu tenho limitações em função do peso. E lógico que não é uma maravilha ser gordo, especialmente em um mundo que privilegia os magros. Mas minha vida não gira, nem jamais girou, em torno disso. 

Leio e ouço muitas mulheres dizendo que não sentem vontade de se cuidar porque estão gordas; que o marido as despreza porque estão gordas; que não conseguem transar por causa do peso; que sentem vergonha do peito, da barriga, da bunda. Mas eu digo, baseada em minha própria vivência, que o problema não é o peso, mas sim a atitude. Ou a falta de atitude.

Eu jamais deixei de ser linda, e de me saber linda. Aprendi o que fica melhor em mim, aprendi a tirar vantagem do que tenho de melhor. O fato de ser gordinha não impede que eu faça luzes no cabelo, que destaque os olhos lindos, que use batom, que pinte as unhas de vermelho. Não me impediu de namorar e casar. Não me impede de fazer sexo. 

Meu marido não reclama do meu peso. Quando me arrumo para sairmos juntos, sempre pergunto: "E aí? Estou bonita?" E ele sempre responde: "Tá linda, e gostosa". Ter essa postura é bom pra ele, pois assim não perde a chance de viver com uma mulher bonita, trabalhadora, leal até a medula, fiel e inteligente. Na verdade o que eu tenho mesmo é uma baita autoestima, e eu acho que aí reside o xis da questão.

Gente pra tentar jogar a gente pra baixo sempre vai haver, seja você gorda ou magra. Então minha dica, aprendida com a experiência, é: tenha orgulho de você. Olhe pra você, olhe o que você tem de bom; não me refiro a filho, casa, me refiro a olhar para si, reconhecer as próprias qualidades.

Minha irmã vai fazer cirúrgia bariátrica. Ela se incomoda com o fato de estar acima do peso, e sente os problemas de saúde chegando. Então, ao invés de sentar, comer uma pizza e beber 2 litros de coca cola, ela foi à luta. Procurou ajuda médica, está fazendo terapia pré-cirúrgica e já está diferente, porque estar infeliz e apenas reclamar não adianta de nada. 

Digo, com toda a convicção, que tudo tem jeito nessa vida. E se o marido te ignora, te despreza, te maltrata, troca de marido, porque o problema é ele, não você."


*
Para entender o contexto que gerou este e-mail, leia também





47 comentários:

Rô Faleiro postou o comentário número:

Bom dia Fernanda!
Que bom que deste a oportunidade desse desabafo!
Concordo plenamente com a leitora que te enviou esse email!
O que vale é como a gente se sente e não como é por fora! Atitude!
Vi várias palestras da Rita Rostirola, bem conhecida aqui no sul, e ela fala bastante sobre o assunto! se vc se interessar tem site http://www.ritarostirolla.com.br/site/
Tenha um lindo dia!
bjão

Lauisa Sousa postou o comentário número:

Concordo plenamente com a amiga do post..já passei por vários problemas de baixa -estima e a falta de atitude nos leva a infelicidade.Com força de vontade, segurança e pensamento positivo podemos ganhar o mundo!!!Beijos

Nina Morais postou o comentário número:

Belo post, belo texto.
Claro que não é "do dia para a noite" que uma pessoa que passou a vida se escondendo do mundo por causa do corpo vai passar a ser e se saber linda, mas depoimentos assim certamente provocam um mínimo de reflexão até para as mais pessimistas.
Eu venho de um processo de resgate da auto-estima há cerca de um ano e meio, e mesmo hoje ainda tropeço de vez em quando. Mesmo tendo há 10 ou 15 anos passado por um grande período em que "me achava".
Então só me resta agradecer por nos propiciar estas leituras e trocas.
Muito obrigada.
bjs

Bia Jubiart postou o comentário número:

Epaaaaaaaaaaaa senti firmeza!

E mande atitude para esse povo que reclama e pouco faz...

Bella, vc tem toda razão, sei que não deve ser uma situação confortável mas se acomodar nas lamúria não resolve nada!

E dá-lhe Fernanda Reali! Gostei!

Beijãooooooooooo

Cibele Leite postou o comentário número:

Fer, quantos desabafos, acredito que a força de vontade tem que partir de dentro, eu quero mudar e preciso, ai sim iremos conseguir um ótimo resultado.
Eu sempre fui magrinha, as vezes alguns kilos de diferença, mas corro atrás, vou trabalhar na caminhada, evito frituras e refrigerante, pois se eu estiver bem com o meu corpo.

beijos

Turquezza postou o comentário número:

Que banho de ânimo esta menina dá às pessoas, sejam elas de que tipo forem .... O importante é "se gostar", então tudo em volta fica muito mais fácil.
Parabéns pelo depoimento.
Beijos.

Anônimo postou o comentário número:

Demais!
Costumo ler sempre seu blog e não comento, mas esses ultimos posts me emocionaram e acho que fazem as mulheres repensararem em muitas coisas!
Muito bom!!
Beijo grande,
Loly

Calma que estou com pressa! postou o comentário número:

ah adorei esta - troca de marido ...o problema não é você é o marido mesmo.... e oh vou te contar aqui na Bahia a mioria das mulheres são cheinhas gostosas , e oh usam vestidos lindos, com decotes , são super lindas , nao se escondem não - sempre com os cabelos arrumadinhos, ou afor, ou escovado, alisado , mas sempre no salto - e pelo que estou vendo os homens preferem as cheinhas gostosas com uto estima lá em cima - e eu estou entrando na delas - parabéns pela tua atitude! mulhers seculo 21 - se cuidem porque querem e não por medo de perder marido - homem egal tem por aí e se não achar tb - fica sozinha e feliz e com várias amigas pra rir muitooo
bj

Essa sou eu postou o comentário número:

Adorei ler o depoimento dessa amiga, ela tem toda a razao, auto estima é tudo nessa vida.
Se amem mulheres!!!!!!
So assim serao amadas.
Beijo:)
Janice

Bianca Pires postou o comentário número:

Também gostaria de compartilhar minha história com vocês, preciso de orações e apoio. bjs

Anônimo postou o comentário número:

Fernanda,

Pico cartão no blog, mas pela correria, quase não tô comentando.
Mas hoje, que se dane meu chefe se me pegar na net.
Sei que estes 2 últimos posts são de assuntos delicados, e que as pessoas tem visão diferente. MAs sinta-se privilegiada de confiarem em voce e conseguirem colocar pra fora o que de mais triste guardam dentro de sí. Sabemos que não é psicologa. Mas não há coisa pior no mundo do que não conseguirmos conversar nem consigo mesmo. Minha mãe foi traída e ficou 2 anos sem falar nada pra ninguem, minha irmã arrasta um complexo de feiura que não existe, porque algum imbecil na sua infância falou que ela era feia.... Adorei o post de hoje, e confesso que me deu um chacoalhão.
è isto mesmo, precisamos de atitude. E digo mais, quando precisamos ter atitude e não temos força pra tê-la é muito bom poder contar com alguem pra nos ajudar.
Me emociono lendo estes posts e agora comentando....dor na alma é horrível.
Bjs...

Edna Santos
em breve de volta o Inquietude total.

Na. postou o comentário número:

Acho que pensar primeiro em vc depois nas pessoas é o mais importante, afinal ninguem vive sua vida! rs =) E a vida é curta, se não aproveitar logo ela acaba sem vc ter vivido!
Xerus
=***

marcela postou o comentário número:

Fernanda to adorando ler esses depoimentos pois acabam ajudando-nos e mto.Esse relato de hoje é isso msm q ela falou o x da questão é a auto -estima e eu digo isso por mim msm,msm tendo um peso normal às vezes me sinto insegura e olha q graças a Deus tenho um ótimo marido q sempre levanta minha moral...lendo esses post em especial ao de hoje,me deixou mto animada acho q eu preciso msm é de mais atitude e me sentir mais valorizada c o q tenho de melhor,afinal como disse à amiga ql é o homem q não deseja uma mulher de atitude ao lado.bjs!

Maria Luiza postou o comentário número:

ARRASOU!!!!
Tiro meu chapéu pra essa moça!!!!!!

Jana Cassis postou o comentário número:

Oi Fernanda!
Nossa que legal essa história, amei!
É isso aí todo mundo tem borogodó, só falta a mulherada se ver sem tanto preconceito e se assumir como realmente é!
Atitude esse é o ponto!!!
Bjs, adorei o post, Jana Cassis.

Jerlei Saad postou o comentário número:

Olá Fernanda.
Minha esposa passou por vários prblemas de saúde, inclusive um depressão muito longa, difícil de administrar, larguei tuto para poder cuidar dela. foram 4 anos muito difícieis, mas vencemos. Ela tem uma enorme perseverança e saiu da crise. Devido a problemas de saúde foi recomendado a ela fazer uma cirurgia bariátrica, que transformou sua vida. Hoje ela é uma mulher feliz, cheia de vitalidade, voltamos a trabalhar em nosso Atelier, somos artistas plásticos e estamos muito felizes. Em momento algum meu amor por ela diminuiu ou ficou abalado pelos problemas que vivemos, ao contrario só aumentou. Somos eternos namorados.
Acho que a terapia ajuda muito na recuperação da auto-estima, é um auxílio importantíssimo.

Dani postou o comentário número:

Nossa, Fernanda. Adorei esse relato.

E a parte final dele, que a meu ver, resume todo o texto: "se teu marido te despreza, humilha o problema é ele e não vc."

E homem que tem esse tipo de postura, vai ter seja vc gorda ou magra; use lingeries lindas ou bege; seja loira ou morena.

Se respeitar e se aceitar é a chave pra felicidade.

Beijos

Luzia Lira Pedagoga postou o comentário número:

Passei por aqui , li o texto e amei. Êta mulher de atitude... É isso aí...Autoestima é tudo.


Bjos Luzia

Adriana Balreira postou o comentário número:

Essa sua amiga tem toda razão quando fala que não importa o corpo que a gente tenha. O importante é a auto-estima que a pessoa tem. Sempre fui magra, magra até demais para mim! As pessoas sempre criticando a minha magreza, resultado??? Não acreditava em mim, não gostava do meu corpo. Ainda estou no aprendizado a me aceitar e gostar de mim assim! Não tem essa de corpo não. Tenho uma amiga que pensem numa pessoa gorda (ela não cabe numa cadeira de braços daquelas de plastico)! Mas namora com um cara todo fortão, mais novo que ela. Tem uma puta auto estima! Tenho que aprender com ela!!!
Beijos
Adriana

Rosana postou o comentário número:

Seus posts estão melhores do que minha terapia!kkkk

Super beijo!

Ju Ramalho postou o comentário número:

O princípio de tudo é na atitude do se amar. Porque muitas vezes se ama demais o companheiro e se esquece que se amar também nos faz ser amadas,desejadas, admiradas.

Quando alguém tem baixa-estima, se diminui, o verdadeiro problema da vida é este. Todos os outros problemas surgem desse sentimento de não aceitação, de depreciação.

Quando não nos diminuímos, somamos e dividimos.
Por exemplo, se você estiver precisando de dieta para emagrecer, comece fazendo uma dieta mental. Comece a se amar mais, descubra seu valor. Atrás do excesso de peso, está um problema interno maior: você acha que “não é bom o bastante”, se sente inseguro, com medos e carências. Enquanto não lidar com este problema, com esta falta de aceitação de si mesmo, você fica fazendo dietas e mais dietas, desistindo e engordando mais, se culpando.
Você reeduca seus hábitos alimentares sem fazer disso um sacrifício, ou tortura. Com alegria, motivação e discernimento, você se alimenta sentindo amor por você mesmo, pensando em qualidade de vida e em seu bem-estar.

Bjs Fer

Roberta Colling postou o comentário número:

lindo depoimento... adoro essa atitude de publicar a opinião das leitoras de gente de verdade, gente como a gente.. quando leio revistas voltadas para as mulheres o que vejo é apenas "como consegui eliminar 20 Kg em 6 meses" nunca li sobre mulheres que se amam como são, gordas, baixas, com celulite.. e aceitam e não tratam isso como um problema a mais para carregar na vida! A gente tem que se aceitar mais, procurar claro sempre se sentir bonita, mas cada uma tem a sua maneira de se sentir bonita! parabéns, estou adorando ler os post.. bjus

Vanessa Reis postou o comentário número:

Atitude faz uma grande diferença na vida...tenho vitiligo e ainda por cima estou um pouquinho acima do peso. Mas sinceramente, quando me olho no espelho não vejo uma mancha sequer, já ouvi de muitas pessoas se isso me incomoda, claro que sim. Mas ou escolho ignorar por completo essas manchas e usar minhas saias, vestidos, tomara que caia, ir a praia e ser feliz ou morro de depressão. E nesse caso eu escolho viver, pois sei que a oportunidade é agora. Bjos e mulheres se cuidem, façam o que tiver que fazer, mas por vocês e pra vocês.

By Vanessa

http://blogvanessareis.blogspot.com/

Anônimo postou o comentário número:

Oi Fernanda!

Tenho uma confissão a fazer: Eu namorei e amei um traste!!!

Ficamos juntos dois anos, mal tínhamos proximidade física e nunca descobri porque. Fui ficando com auto estima lá no pé, chorava, perdia o sono de noite. Eu me acabava nas lingeries e rendas e o traste virava pro canto e dormia.

Eu era novinha, nem celulite, nem barriga (embora eu ache que isso sejam só detalhes).

Eu na casa dos 20 anos,cheia de "energia" e o traste só queria saber de balada (comigo, claro), viajar, bons restaurantes, etc. Era um bom companheiro, divertido, boa situação financeira, ríamos muito, mas sem séquisso não se vive vida de casal, minha gente. Ainda mais um casal sem problemas físicos e no auge da idade.

Fui ficando deprê achando que o algo errado era comigo. Não era, nunca foi.

Graças a Deus o destino tirou esse infeliz do meu caminho. Nunca mais soube notícias dele. Na época eu tinha um amigo assim totalmente lindo, rico e sedutor, que me convenceu que o problema não era eu, e sim o namorado.

Larguei o bófe, mas não sem antes enfeitar a cabeça dele, e foi muito bem feito e divertido!!!! hahaha...

Nunca mais nos falamos.

Meses depois comecei a namorar de novo, e foi totalmente diferente, descobri que não podemos ser o que as pessoas querem que sejamos.

Tudo era melhor, cama, romantismo, companheirismo. Garanto que hoje fisicamente tô bem menos "durinha" e "magrinha" que antes, mas ele me faz achar que sou a Leila Lopes (a Miss Universo, gente, não a que se matou!Rs).

Eu simplesmente adorei esse post de hoje. Acho que se algo nos incomoda, devemos ir à luta e tentar mudar. Se somos fora dos padroes e não nos incomoda tanto, vamos ser felizes com o que a natureza nos deu, com saúde, sempre.

Agora, o final da postagem foi tudo de bom, tá cheio de marido defeituoso por aí precisando ser trocado.

Abraços.

Anônima por motivos óbvios, uma mãe de família não pode confessar o inconfessável assim na internet pra todo mundo ver. hahaha

Andreia Lica postou o comentário número:

Ótimo Post,

Concordo em genero nº e grau com essa amiga. Muitas pessoas usam o sobrepeso, a magreza ou qualquer outra coisa como desculpa, dizendo para si e para os outros que não adianta se arrumar que nada vai melhorar...e não vai mesmo, porque nós temos que querer ficar bem, e não é um fator que vai deixar a sua auto estima para baixo, o ideal é usa-la a seu favor...se for gordinha...abuse de decotes, saias...se for magra, use roupas mais larguinhas mas que deixam seu corpo mais bonito...mas de todo caso, cuidar do cabelo, das mãos etc só ajuda a manter o conjunto mais bonito.

Bjão

Drika postou o comentário número:

FErnanda, adoro sua sensibilidade... por isso suas postagens são tão boas, e mesmo qdo não tenho tempo de comentar, é bom demais passar por aqui e ler tanta historia de vida.. bjkas!!!!

Clara postou o comentário número:

Se conhecer...
Se aceitar...
Se amar...
3 Regras básicas para ser feliz, independente de estar sozinha, ou casada, ou tico tico no fubá...
O preconceito acaba vindo da gente mesmo, e somos todos diferentes uns dos outros. Pronto. Tem gosto pra tudo. Só não pode ter mau gosto na hora de escolher um parceiro. Ah isso não mesmo!

Beijosss

Vanessa postou o comentário número:

Realmente Fer, você arrasou com o post hoje! E sua amiga está de parabéns, é um exemplo daqueles que a gente tem que espalhar por aí!!!
Eu sou magra...nunca fiz dieta na minha vida, e também sofro com isso, pensa só, você ir comprar uma calça jeans e ela ficar grande. Sou baixinha, aí se não fica larga na cintura, ela sobra 20 cm na perna..., experimenta umas vinte e sai da loja sem nenhuma! Deprime né?
Quando tive depressão, tomava fluoxetina, que é usado como moderador de apetite, cheguei a pesar 42 quilos! Mas hoje estou bem, não ótima... mas sei que com a terapia ainda vou poder dizer que estou ótima! Desde criança vejo minha mãe sofrer com a balança, fazer plásticas... e continuar sem se gostar. Enfim, a gente tem é que SE GOSTAR EM PRIMEIRO, SEGUNDO E TERCEIRO LUGAR!
Um beijo!

Janete postou o comentário número:

Adoro seu blog Fer!!! Altamente necessário pra mulher que se assume com todos os seus dilemas e encantos. Amei esse depô, maravilhoso, é isso aí, temos que nos assumir, se estamos insatisfeitas com alguma coisa, vamos a luta, hj temos muitos recursos pra melhorar, mas se lastimar, se "auto-humilhar" jamais...Bjos

Lola Sciwinzki postou o comentário número:

Tb sou gorda e me acho linda e gostosa.
Sempre fui gordinha.
E agora to enorme, mas continuo me achando bonita.
O namorado tb não reclama, diz sempre q eu sou linsa, q estou bonita, que sou gostosa.
Tem ciúmes.
A vida é a gente que faz.
Claro, existem percalços e dias ruins.
Mas a gente tem sempre q fazer valer a pena.
Bjks.

Sara W. postou o comentário número:

Olá Fernanda!
Vi o seu blog no link da Amehlia Digital. Gosto muito de moqueca e deve ter ficado divina!! hummm
Beijos,
Sah

Lola postou o comentário número:

Só para lembrar que as magras tb tem problemas, tb são desprezadas, humilhadas e traídas que magreza não é passaporte para felicidade como muitas pensam, esse post é uma injeção de incentivo a gordas, magras altas, baixas, brancas, amarelas, ruivas, negras, crespas, lisas etc.
Parabéns!
bjs a Fernanda e a generosidade de sua amiga em dividir sua atitude conosco.
Lola

Luciana Alcantara postou o comentário número:

Olha,Fernanda,essa sua amiga tem muitaa..atitude!Nós mulheres muitas vezes nos torturamos,querendo muitas vezes mostrar aquilo que não é a nossa verdade,para agradar os outros,para sentirmos "alguém"na sociedade.
Temos mesmo é que ser feliz,desde que não façamos nosso semelhante infeliz,amar,lutar,viver!
Essa postagem foi realmente um chega pra lá no comodismo,fique com Deus,bjs,Lú!

Regina postou o comentário número:

oi Fernanda, tudo bem com voce?

Gostei muito deste depoimento, é a mais pura verdade.

Se voce está feliz e com saúde, é o
que importa e não o seu peso.
um beijo

Regina Célia

Renata postou o comentário número:

Oi Fer!
Muito legal o post. Quando você fez o outro eu até pensei em comentar, mas...não saiu...
Eu nunca fui de ter lá muita alta estima, mas sempre deu pra levar. Ultimamente, principalmente depois de abrir o blog e conhecer tanta gente, venho me redescobrindo. Nunca fui feia, mas nunca fui a mais linda, mas sempre fui muito inteligente, mas depois de um tempo até mesmo isso acabei "esquecendo". Ás vezes penso que "emburreci". Mas como disse estou me "resgatando". Sei que não vai ser rápido, mas eu tenho tempo.
Beijos, Renata
palpitandoemtudo

Thaíza postou o comentário número:

Me identifiquei com ela, só que quero perder peso por causa da saude, e preciso tomar atitude para isso.

Sra. Cilla postou o comentário número:

Concordo plenamente com a amiga leitora! Adorei o relato dela! Super parabéns! Não consigo entender essas mulheres que se submetem a certas atitudes de homens machistas, só pra não ficar sem homem? Mulher tem que aprender a se valorizar independente de "beleza"!
Eu sou muito mais eu :) e acho que é por isso que me dou muito bem em todos os relacionamentos que tive e no atual.
Bjinhus!

Dona Amélia postou o comentário número:

Ótimo depoimento, e o melhor, não vale apenas pras gordinhas, mas toda mulher, homem, ser humano que seja. A questão é ter sim, um censo da realidade e uma auto-estima alta. A beleza é tão subjetiva, esconde-se em cada mínimo detalhe, basta que a gente se permita ser e viver assim, de bem com a vida e feliz. É difícil muitas vezes, claro, ainda mais com o bombardeio das mídias nos entupindo com falsas perfeições, com as fábricas de roupas emagrecendo cada vez mais a silhueta das brasileiras, com o descaso, ainda, da grande maioria das fábricas de roupas para com as "plus size" de verdade, porque convenhamos, 44 não é plus size nem aqui e nem em nenhum lugar do universo!! E nem precisamos, também sou gorda, não tenho bundão e nem cinturinha, mas me sinto e me acho linda, pois tenho tanto a mais pra mostrar e outra, adoro estar na moda, usar roupas confortáveis, bonitas, sensuais e elegantes. Eu costumo sempre dizer que o ideal de beleza pro sapo é a sapa. O que é bonito pra mim, pode não ser pra você e vice e versa, e isso é torna a gente, como ser humano, mais interessante, é essa diversidade maravilhosa que a maioria teima em olhar e rejeitar, muitas vezes, com assombro!
Já passa da hora, amores, de nos olharmos com olhos mais acolhedores e gentis! ;oD

Xêros, Fer!
Paty

Jordana / Gato de Sapato e Gato na Cozinha =^.^= postou o comentário número:

Show!! Saculeja e vem pra vida...que ela está passando e cada um decide se assiste os outros ou vive a sua.Amei Fer!

Patricia Daltro postou o comentário número:

Li esse post e o anterior, engraçado que embora tratem, a principio, de temas diferentes, falam sobre a mesma coisa: a nossa aceitação, nossa postura em como viver a vida: se deixamos que vivam pela gente, definindo o que somos, como somos, e deixando que nos machuquem com julgamentos ou traições, ou se a tomamos pelas mãos e definimos que quem manda na bagaça somos nós!
Ser a dona do seu próprio destino é complicado, quase um exercício cotidiano, são muitas as pequenas armadilhas que nos deparamos diariamente.
Enfrentar essas armadilhas é o grande desafio, mas enxergar o nosso próprio olhar vitorioso no espelho é muito bom!

Bibia Bueno postou o comentário número:

Recentemente, assisti um programa chamado Tabu, na Nat Geo, sobre extremos de beleza. Mostrou concurso de beleza de garotas encorpadas e até uma moça que pesava cerca de 200kg e tinha um site de relacionamentos, dois ou três namorados que a viam como a última bolacha do pacote.

Depois mostrou o caso daquela garota anoréxica que escreveu um livro e apareceu no outdoor de Milão, a Isabelle Caro. Infelizmente, faleceu. Abordou toda a discussão sobre a indústria da moda e o movimento Pro Ana.

O que me fez pensar no seguinte: diga-me aqui com toda sinceridade, o que faz ser politicamente correto condenar o movimento Pro Ana e aprovar um movimento apoia a beleza da obesidade?

Eu, como obesa assumida em luta pela saúde, não gostaria que o oposto se fizesse válido e que o padrão de beleza fosse o contrário do que é. Ser muito gordo é perigoso. Assim como ser muito magro também é perigoso. Aprovo um padrão de beleza mais realista, com uma curva menos severa na variação de peso, mas os extremos não são bacanas em nenhum dos lados.

Eu sou bonita. Obesa, gordinha ou chegando perto, mas ainda longe, de ser magra (coisa que nunca fui). Eu acho que sou bonita. Mas existe um limite em que é um risco para o corpo. Estou lutando para sair desse risco. Não quero ser capa de revista e nem nada do tipo. Sou feliz. Tenho minha vida sexual, meu marido que me ama independente do peso e não deixo de pintar as unhas ou me maquiar.

Eu quero continuar bonita, mesmo que continue acima do peso, mas quero que a minha alimentação seja equilibrada pelo bem do meu organismo. Para que eu não preocupe os que me amam. Para que eu viva melhor a minha vida. Para que o meu aparelho digestivo funcione legal, deixe a pele mais bacana e a disposição para um passeio ou uma noite quente mais evidente.

Eu sinceramente não acho que a garota da Veja que perdeu sete quilos com aquele remédio novo era gorda e nem acho que estava em risco com a saúde. Ela estava bem bonita com as curvas na foto do Antes e me choca que tenha, com aquele corpo lindo, ter representado a gorda da matéria. Continuaria bonita com uns quilos a mais, como continuou bonita com uns quilos a menos na foto do Depois. Dessa curva é que falo. Até as gordas na mídia são magras, isso beira o absurdo!

Eu não acho certo que a mídia estipule que eu ache as modelos com aquelas pernas finas bonitas e feias as pernas com mais curvas e carne. Posso achar ambas bonitas! A beleza não deveria ter um padrão. Somos lindamente tão diferentes uns dos outros. Que graça teria se todas fossem loiras?

Porém, acho um absurdo que eu seja considerada politicamente incorreta se eu não achar bonita uma mulher baixinha de duzentos quilos. Não, eu não acho. Assim como não acho bonita uma mulher alta de vinte quilos. Eu não me acharia bonita com duzentos. Eu não me acharia bonita com vinte.

Acho que estou no ponto ápíce aceitável da minha própria curva. Estou bem comigo mesma, como estarei se perder mais peso (já somam 15 perdidos). Mas antes de eliminar tudo isso eu não estava bonita. Não me olhava no espelho e ficava feliz. Não foi a toa que meus exames deram alterados, o que não estava me fazendo bem não podia mesmo refletir beleza. Agora estou bem, estou me sentindo bonita, estou com os exames equilibrados e mesmo assim ainda sou gorda. E daí? Tô bem! Tô feliz!

O que quero dizer é que, para oito ou oitenta, existe um limite. Sim, a mídia, o bulling e a indústria da moda estão equivocadas. Sim, a anorexia é um problema sério. Mas, sim, mesmo com tudo isso a obesidade é um problema real e igualmente perigoso. E, dessa forma, na minha opinião defender a beleza na obesidade mórbida (não falo das gordinhas lindas, veja bem) é o mesmo que apoiar o Pro Ana. Sinceramente, se a reeducação alimentar não estivesse funcionando ou se eu voltar a bater na porta da obesidade mórbida, vou aceitar a cirugia bariátrica.

Beijos!
Bia

Bibia Bueno postou o comentário número:

Para ilustrar:

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI1948657-EI8142,00-Milao+proibe+outdoor+com+modelo+anorexica.html

Carla postou o comentário número:

Ki lindo.... Amei essa moça!!!!! Parabéns Flor por não dar ouvidos a essa sociedade cheia de preconceitos... Seja muito feliz, feliz.
Beijinhos
http://jeitofelizdeser.blogspot.com/

Ia Maluf postou o comentário número:

Fernanda, li esse post depois do comentário da Bibia no seu outro post. Ganhei 18 quilos na minha segunda gravidez e emagreci fazendo RA. E emagrecer foi o menor dos benefícios. Ficar saudável, conseguir correr, subir montanha, nadar, ver minha pele melhorar, minha saúde melhorar e principalmente servir de exemplo para as minhas filhas foram os verdadeiros ganhos.

Meu marido também sempre me valorizou. Peso nunca foi o problema. Mas hoje além de felizes, somos saudáveis...

Bjs
Ia

Ana de Geo postou o comentário número:

Fernanda, eu gosto muito de vir aqui porque sempre aprendo coisas maravilhosas para o dia a dia e para a alma. Sabe, Fernanda, eu estou ganhando peso rapidamente. Não aconteceu nada, minha vida é quase sempre metódica, rotineira, quase não saio, não sou de comer excessivamente, embora também não curta academia, mas sou feliz demais, amo e sou amada, faço o que gosto, etc. Claro que bate um pouquinho de medo, sabe. Meu marido é tão lindo, e mora fora do país devido o trabalho dele, e ele chegou agora e estranhou um pouquinho eu estar tão acima do peso como ele nunca me viu antes. Ele disse que gosta, porque agora estou com curvas que antes não tinha e etc, mas você sabe como é mulher, né? Estava ou ainda estou, não sei, com medo da reação dele, após 5 meses sem intimidade, ele chegar e me encontrar diferente, sei lá... Mas ler esse texto agora me acalmou muito. Obrigada por compartilhar.

Fabiana Martins postou o comentário número:

Ótimo texto, concordo em gênero, número e grau.

Sheyla - DMulheres postou o comentário número:

Fernanda,
Adorei o texto. Obrigada por compartilhá-lo . Concordo que o problema de baixa estima é sério e deve ser tratado rápido, tive problemas com isso, sempre me achei feia e sem graça, por muito tempo. Mas com a idade , compreendi que podemos mudar de atitude e que todo mundo tem uma luz interior que brilha, muito mais que a beleza externa. Vamos aprender a nos amar.
bjossssssssssssss

Voltar ao topo Real Time Analytics