sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Obesa ou Anoréxica - Os Extremos Perigosos


Eu tenho a FELICIDADE de ter leitoras preciosas, que escrevem, que pensam, que opinam. Já disse mil vezes e repito: a melhor coisa deste blog são os leitores. 

O comentário da Bianca Bueno é excelente e contribui demais para esta semana em que falamos de autoestima, amor-próprio, inadequação, depressão, aceitação, superação. 

Bianca trouxe uma opinião que pode até causar polêmica, mas eu concordo 100% com ela. Veja:


Bibia Bueno deixou um comentário sobre a postagem 


"Recentemente, assisti um programa chamado Tabu, na Nat Geo, sobre extremos de beleza. Mostrou concurso de beleza de garotas encorpadas e até uma moça que pesava cerca de 200kg e tinha um site de relacionamentos, dois ou três namorados que a viam como a última bolacha do pacote.


Depois mostrou o caso daquela garota anoréxica que escreveu um livro e apareceu no outdoor de Milão, a Isabelle Caro. Infelizmente, faleceu. Abordou toda a discussão sobre a indústria da moda e o movimento Pro Ana.



O que me fez pensar no seguinte: diga-me aqui com toda sinceridade, o que faz ser politicamente correto condenar o movimento Pro Ana e aprovar um movimento apoia a beleza da obesidade?

Eu, como obesa assumida em luta pela saúde, não gostaria que o oposto se fizesse válido e que o padrão de beleza fosse o contrário do que é. Ser muito gordo é perigoso. Assim como ser muito magro também é perigoso. Aprovo um padrão de beleza mais realista, com uma curva menos severa na variação de peso, mas os extremos não são bacanas em nenhum dos lados.

Eu sou bonita. Obesa, gordinha ou chegando perto, mas ainda longe, de ser magra (coisa que nunca fui). Eu acho que sou bonita. Mas existe um limite em que é um risco para o corpo. Estou lutando para sair desse risco. Não quero ser capa de revista e nem nada do tipo. Sou feliz. Tenho minha vida sexual, meu marido que me ama independente do peso e não deixo de pintar as unhas ou me maquiar.

Eu quero continuar bonita, mesmo que continue acima do peso, mas quero que a minha alimentação seja equilibrada pelo bem do meu organismo. Para que eu não preocupe os que me amam. Para que eu viva melhor a minha vida. Para que o meu aparelho digestivo funcione legal, deixe a pele mais bacana e a disposição para um passeio ou uma noite quente mais evidente.

Eu sinceramente não acho que a garota da Veja que perdeu sete quilos com aquele remédio novo era gorda e nem acho que estava em risco com a saúde. Ela estava bem bonita com as curvas na foto do Antes e me choca que tenha, com aquele corpo lindo, ter representado a gorda da matéria. Continuaria bonita com uns quilos a mais, como continuou bonita com uns quilos a menos na foto do Depois. Dessa curva é que falo. Até as gordas na mídia são magras, isso beira o absurdo!

Eu não acho certo que a mídia estipule que eu ache as modelos com aquelas pernas finas bonitas e feias as pernas com mais curvas e carne. Posso achar ambas bonitas! A beleza não deveria ter um padrão. Somos lindamente tão diferentes uns dos outros. Que graça teria se todas fossem loiras?

Porém, acho um absurdo que eu seja considerada politicamente incorreta se eu não achar bonita uma mulher baixinha de duzentos quilos. Não, eu não acho. Assim como não acho bonita uma mulher alta de vinte quilos. Eu não me acharia bonita com duzentos. Eu não me acharia bonita com vinte.

Acho que estou no ponto ápíce aceitável da minha própria curva. Estou bem comigo mesma, como estarei se perder mais peso (já somam 15 perdidos). Mas antes de eliminar tudo isso eu não estava bonita. Não me olhava no espelho e ficava feliz. Não foi a toa que meus exames deram alterados, o que não estava me fazendo bem não podia mesmo refletir beleza. Agora estou bem, estou me sentindo bonita, estou com os exames equilibrados e mesmo assim ainda sou gorda. E daí? Tô bem! Tô feliz!

O que quero dizer é que, para oito ou oitenta, existe um limite. Sim, a mídia, o bulling e a indústria da moda estão equivocadas. Sim, a anorexia é um problema sério. Mas, sim, mesmo com tudo isso a obesidade é um problema real e igualmente perigoso. E, dessa forma, na minha opinião defender a beleza na obesidade mórbida (não falo das gordinhas lindas, veja bem) é o mesmo que apoiar o Pro Ana. Sinceramente, se a reeducação alimentar não estivesse funcionando ou se eu voltar a bater na porta da obesidade mórbida, vou aceitar a cirugia bariátrica."



*

Obrigada, Bibia, pela contribuição que sempre tem dado aqui no blog!


22 comentários:

Neli Rodrigues postou o comentário número:

A Bibia é uma pessoa bem esclarecida e bem resolvida.Nem oito, nem oitenta, o caminho é mesmo esse.
Bjs♥

Lola postou o comentário número:

Que tênue esse limite entre o certo e o errado...pra vc ver, a maioria condena sites que propagam a bulimia e a aneroxia mas não enxerga que a obseidade também é uma epidemia perigosa!
Difícil é mudar a mídia.
Interessante e ótimo post!
Bjs pras duas, Fer e Bibia!

Lola postou o comentário número:

"Até as gordas na mídia são magras". Disse tudo. Obrigada Bianca pelo texto perspicaz.
Lola
Blogagem linda esmalte e música da http://www.bibiabueno.com.br/

Uma parte de mim postou o comentário número:

Você é o que quer ser, sem essa de esteriotipo, viva e seja feliz!
Concordo em gênero, número e grau Bibia!!

Denise Lopes postou o comentário número:

Oi Fernanda, esse assunto é bem sério. Todo o excesso é bem perigoso. Eu estou acima do peso, preciso perder 20 kilos que acabei ganhando por parar de fumar. Já se passaram 11 meses, e venci esta batalha, agora tenho a segunda, voltar o meu peso real, estou me organizando para isso. beijos.

Fabiana Tardochi postou o comentário número:

Mulheres esclarecidas e super bem resolvidas encaram os problemas assim.
Eu concordo em gênero , número e grau com o depoimento da Bia que é sempre muito sensata, correta e de uma personalidade incrível.
Parabéns as duas!
Um beijo e um ótimo final de semana

Dani postou o comentário número:

Amei o que ela escreveu! Eu já acompanho o blog da Bibia e sei o quanto ela é inteligente, seu blog é excelente, assim como o seu! Estou numa fase bem complicada em relação ao meu peso atual, engordei depois do casamento, e ainda desconto todo o estresse do dia a dia na comida e simplesmente não consigo controlar mais minha compulsão por doces, este blog é um incentivo para mim. Bjs!

Vanubia postou o comentário número:

Palmas pra Bibia... ela colocou de forma bem simples e objetiva, mostrando os dois extremos.
Na verdade o que tem msm que valer a pena em primeiro lugar é a saúde... sem ela não se vai alugar algum.. a nenhum extremo.

Um beijo

Bibia Bueno postou o comentário número:

Oi Fer, se eu soubesse que meu pitaco ia virar post tinha caprichado um "cadinho" mais no português, mas eu fiquei REALMENTE preocupada, antes de ver esse programa eu era bastante defensora das gordinhas, até meu marido é, pois eu realmente acho algumas bem bonitas mesmo acima do peso "ideal". Por coincidência, em outro canal, tinha assistido dias antes um documentários sobre o Pro Ana com entrevistas de algumas defensoras, as palavras se pareciam mesmo algumas obesas defendendo sua beleza diferenciada. Gordinhas são belas, mas a obesidade mórbida tanto é perigoso que é indicativo de operação... acho que o importante é somarmos saúde com auto estima para ficarmos de bem com o espelho, senão a relação será fragil. É nessa luta que estou... :)

Beijos, linda! Bom FDS!

postou o comentário número:

oi Fernanda! sofri com anorexia e bulimia. Primeiro vem a anorexia, e consequentemente a bulimia, são muito distintas, mas estão interligadas. Quando criar coragem vou falar mais sobre isso no blog, pois é um problema que não foi 100% superado, não tive apoio de ninguém da familia, pois todo achavam que eu parava e pronto! só me curei com médico e força p cuidar do meu filho.
beijos, bom final de semana

Elaine Figueira postou o comentário número:

Que bom ter o equilibrio das coisas como meta. Atualmente estou muito acima do peso e penso nisso nem tanto o céu nem tanto a terra.

Gostei muito do post. Infelizmente teve dor e morte mas quanto mais soubermos, mais aprendermos, menos irão sofrer.

Dona Amélia postou o comentário número:

Perfeita a argumentação da Bibia!
Não tenho o que tirar e nem acrescentar, seria somente chover no molhado! ;oD

Xêros
Paty

Luciana Alcantara postou o comentário número:

Gostei muito dessa postagem!
A Bibia foi de uma grande sensibilidade ao abordar esse comentário.Quando meu menino nasceu,esqueci de mim e dedicava meu tempo,vida,só para ele(tinha um probleminha gástrico que causavam muitas preocupações,enfim família achava que eu estava magra demais,e relaxei.
Só percebi que estava gordinha(e eu sempre fui magrela)quando peguei as fotos do aniversário de um aninho dele(mas no mesmo ano corri atrás,e consegui recuperar meu peso).Minha família sempre teve essa idéia que magro é gente doente se está gordinho é porque é forte,e o pior é que eu também caí nessa onda,e fiz a mesma coisa com o menino.Todo mundo falava que ele era magrinho(o pobre menino),imagine o que aconteceu?
Ele com 8 anos vestia roupa de 14 anos,vivia cansado(tadinho),procurei ajuda médica,e com muita boa vontade ele está em boa forma,e muito esperto,tem 12 anos,parece ter mais,mas,é só porque está ficando alto(lindooo...).
Hoje aqui em casa,tô sempre de olho,mais sem neuras,me preocupo muito para não cair nos mesmos erros.E a parentada?Sempre achando alguém na família que precisa engordar,rsrsrs.
É inegavel,tudo demais é arriscado,milll...beijinhos,Lú!!!!!!!!

Luciana postou o comentário número:

Oi Fernanda! O depoimento-comentário da Bibia, foi excelente, diz tudo. Concordo plenamente com ela, os extremos são muito perigosos. A mídia, a indústria da moda, vendem seus ideais de beleza e muitas pessoas sofrem por não estarem naquele padrão colocado. A mente precisa estar bem, assim como o corpo também, sem estereótipos.
Já publiquei a postagem da Blogagem coletiva de esmaltes:

http://www.pitadasdilu.com.br/2011/09/esmalte-e-musica.html

Bjos, Lú.

Rosana postou o comentário número:

Gente esquelética dá até medo de quebrar num abraço. Já abraço de gordinho é dos melhores, dos mais aconchegantes!rs

Mas é verdade que temos que seguir a saúde, mais do que esse negócio de beleza, que nunca chegaremos afinal, cada um vê a beleza de um jeito.

Bjinho!!

Beth Salvia postou o comentário número:

Oi Fe acompanho a Bia e gosto muito da sinceridade dela, excelente depoimento. Estou de volta, não postei imagens mas ja to com as unhas pintadinhas e hj postei um depoimento que gostaria que vc lesse, quando tiver um tempinho. Bom final de semana, bjs

http://bethhistoria.blogspot.com/

Clau Finotti postou o comentário número:

Bom dia!

Perfeita argumentação da Bibia. Eu já tinha percebido no blog dela que ela era uma pessoa bem resolvida, e agora tenho certeza disso.

Acho que o segredo de tudo nessa vida é o equilíbrio, em tudo mesmo, e com o corpo não seria diferente.

Beijos e bom sábado prás duas.

Clau

Na. postou o comentário número:

Acho que a pessoa tem que pensar primeiro na sua saúde! Nem a anorexia nem a obesidade fazem uma pessoa saudável!
Ahh, ja postei minha participação na blogagem coletiva! o link: http://senaoforhoje.blogspot.com/2011/09/esmalte-e-musica.html
Xerus
=***

Turquezza postou o comentário número:

Meu lema: saúde em primeiro lugar, sempre!
Aparência é a consequência dos nossos cuidados ... ou não.
Beleza total nunca existiu nem vai existir, nem com todas as plásticas do mundo, não é? Então a Bibia tem total razão, nem oito nem oitenta.
E vamos viver a vida em todos os sentidos.
Beijos.

Ia Maluf postou o comentário número:

Adorei o comentário da Bibia. Assisti ao mesmo programa e concordo com ela. O padrão de beleza não importa, a saúde sim. Obesidade é tão ruim quanto anorexia, bulimia ou qualquer dependência . É um problema de saúde pública e deve ser tratado como tal.

Adorei seu blog! Nem sei que caminho fiz para chegar até aqui, mas fiquei feliz por chegar! Estou seguindo.

Bjs
Ia

Manuela postou o comentário número:

Fer
eu costumo dizer que, mesmo não gostando da fruta, se o Freddie tivesse vivo eu nao tava casada! Tava lá acampada na porta da casa dele!
rsrsrs
Ele foi um ser humano raro!
Conseguia expressas toda a sua genialidade através de sua arte!

Bjs

Misturação - Ana Karla postou o comentário número:

Essa Bibia é resolvida. Percebe-se pelo texto conformador que só pode os ser felizes se nos aceitarmos.
Independe do quilograma.
Gostei, nem oito, nem oitenta e vamos ser felizes cuidando da saúde que é mais importante.
Xeros

Voltar ao topo Real Time Analytics