segunda-feira, 5 de novembro de 2012

No fundo do seu poço, tem uma mola!




Hoje trouxe três histórias que valem a leitura. Compartilhe-as com quem precisa ser lembrado de que a vida é boa, e precisamos escolher viver bem.




"A atriz, filha de uma das socialites mais famosas do Brasil, Carmem Mayrink Veiga, descobriu um câncer de mama em outubro do ano passado. Optou pela discrição e não contou para ninguém sobre a doença. Omitiu até dos pais, que só foram comunicados depois que ela se curou.

Antonia enfrentou o câncer ao lado dos três filhos - Guilherme, 26, Lorenzo, 24, e Maria Tereza, 21- e do marido, o empresário Guilherme Frering, de 53, com quem é casada desde os 20."

***Leia o texto completo aqui.***



Ela era loira e lisa (tintura e chapinha, abafa). Ficou careca por causa de uma barbeiragem que ela própria fez com a tintura/ alisamento nos cabelos.


A gente se assustou e só não sofreu porque pensou assim: isso não é nada! Pior se os cabelos caíssem com quimioterapia. Então, veio o diagnóstico de câncer de mama, e os cabelos se foram.

A prancha de fazer chapinha ficou na gaveta, e no fundo do poço da @margaretss tem uma enorme mola, que a impulsionou para bem alto, superando tudo e ajudando quem precisa de resiliência.




Manuela ficou careca, com 28 anos, durante a quimioterapia. Ganhou uma peruca ruiva, lisa, corte chanel, da Fundação Laço Rosa, e esta peruca significou muito mais do que um punhado de cabelos. Ela lhe trouxe uma melhora significativa na autoestima. 



Quando Manu me contou isso, eu vi o brilho no olhar dela, vi sua alegria e sua força, durante esta fase bem dura em que está passando. 

Manu, assim como todo mundo, tem altos e baixos no seus dias, e no meio de um dia bom achou um tempinho para fazer um blog sobre câncer de mama, compartilhando informações úteis e práticas. Visite-o aqui.



20 comentários:

Margaretss postou o comentário número:

Tu é uma linda na minha vida viu Fê..
Eu amo sair no teu blog...
Fui ler a reportagem sobre a atriz e nao entendi como que ela ja recebeu diagnostico de cura ( mas as vezes as reportagens confundem tudo ne?) porque pelo que sei este diagnostico so se da apos 5 anos.
E Manu ainda na batalha, mas ela vai conseguir vencer tudo...
Beijinho pra tu

Ahhh...esta atrz eh linda ne?

Ma Petite Lima postou o comentário número:

Adorei o post, Fernanda..
Realmente o cancer é uma grande questão de Fé e superação.. Minha Mãe sofre desse mal alguns anos, e não é facil.. Pra mim é tudo tão dificil, pois infelizmente não estou pertinho (Moro na França), para acompanhar, abraçar.. Sim, no fundo poço tem uma mola!
Obrigada, viu..
Bjinhus
Joanna

http://mapetitelima01.blogspot.fr/

Neli Rodrigues postou o comentário número:

Vu ler suas dicas.
Adoro histórias de superação.
Bjs

Lauisa Sousa postou o comentário número:

Eu amei o post...é isso mesmo..mulheres guerreira que muito tem para compartilhar..diva estou ausente da BC pq meu blog não aceita minhas fotos..beijus e te amo viu sempre

Adelaide Araçai postou o comentário número:

Amei a união de histórias possíveis que mostram que, apesar do diagnostico, existe sim a possibilidade de vida plena e feliz.

Obrigada por partilhar.

Abraços

Doçura de conversa postou o comentário número:

Excelente post,histórias de batalhadoras,no fundo do poço existe uma mola...verdade. Bjs Trícia.
delicinh.blogspot.com.br

sonia postou o comentário número:

Estes exemplos são motivadores enos empurram para cima!
Abraços!
Sonia

Renata postou o comentário número:

Oi Fer!

Pôxa Fer, que lindo esse post!
Eu acompanhei bem a dureza que é o tratamento de câncer... foram vários na família.
Emocionante a força destas mulheres!

Beijos, Renata
palpitandoemtudo

Clara postou o comentário número:

Oi, Fernanda...

Às vezes achamos essas histórias tão impressionantes, e são mesmo, que não sabemos de onde se tira forças pra seguir em frente. Na verdade não tem o que fazer... são pessoas até iluminadas, que sabem muito bem o que estão passando, pessoas especiais que são capazes de suportar a dor e muito mais que isso... não tem explicação!

Acho que cada um tem uma mola, mas nem todos a usam para se impulsionar.

Beijos

Paula Kasas postou o comentário número:

Pegou pesado hoje, heim Ferzinha???
Nossa...to até transparente...muito boa essa mexida.

Beijokas

Chris Ferreira postou o comentário número:

Oi Fernanda, três histórias de mulheres fortes que servem de exemploe apoio para muitas de nós.
Linda a sua atitude de compartilhar.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Rose postou o comentário número:

Muito inspirador seu post.Belas estórias de superação.Sempre te acompanho e aprendo com ti!
bjs

Kellen Bittencourt postou o comentário número:

Oii Fernanda, 3 ótimos exemplos de vida e superação, exemplos de fé a serem seguidos, valeu por compartilhar! Abraçoss

Viviane postou o comentário número:

Oi Fe,
ótimo post e exemplos maravilhosos! Através de belos exemplos muitos se animam!
Bjos!!!

Vera Moraes postou o comentário número:

Ouvi essa frase ontem na novela das 18h00. A personagem francesa disse algo parecido com "Quando chegamos no funco do poço não há outra alternativa a não ser ir para o alto". Essa chegada no fundo do poço pode ser de várias formas....Doença, desesperança, tristeza, desilusão, falência.....Cada um com sua história! Com certeza essas mulheres, assim como tantas outras pessoas que cruzam nossos caminhos diariamente, são exemplos de superação e de estímulo para nunca desistir. Bela homenagem Fe!! Bjus!

Gerliane postou o comentário número:

A mola no poço depende muito mais de bos mesma que dos outros né Fê? Mas que benção é poder ter amigos e amores com os quais possamos compartilhar as dores e dificuldades, que estejam conosco no FIA do diagnostico assim como no da cura... O câncer alastra e destrói mas a falta de amor é muito mais dolorosa...

lena postou o comentário número:

Olá Fernanda.
Adorei ler.
É isso mesmo quando enfrentamos algo assim temos de batalhar porque ir abaixo é o pior que fazemos. E são essas historias de guerreiras valentes que nos ajudam. Obrigado pela partilha.
Beijinhos grandes.

Anna Almeida postou o comentário número:

Que coisa, Fernanda. Acabei de ler esse post justamente hoje que assisti um filme chamado Cinco pela Cura. São cinco curtametragens que retratam os desafios de quem enfrenta o câncer de mama. Achei interessante.
A mola no fundo do poço é muito pessoal, cada uma tem de encontrá-la.
Parabéns pelo post e às mulheres que enfrentam o problema, pela força.
Um beijo.

Monalise Nogueira postou o comentário número:

Acompanhei o caso da margarets bem de perto e lembro da força dela. Da Manuela conheci a pouco tempo.

Esse é um assunto que me chama muito a atenção. Na minha familia temos muitos casos de câncer, mas nenhum na mama. Post ótimo viu.


Beijos

Voltar ao topo