quarta-feira, 15 de maio de 2013

Avó da filha ou mãe do neto? - Vera e Angel


Quando li o depoimento da Vera Falcão, eu me perguntei: será que ela foi avó da filha, ou será que virou mãe do neto? Nenhuma das alternativas. 



Vera soube separar bem os papéis. Teve uma filha, que também foi mãe jovem, de um menino chamado Angel. Vera criou sua caçulinha ao mesmo tempo em que Angel, o primeiro neto, nascia. A tia era um ano e pouco mais velha que o sobrinho!




da esquerda para direita: Angel, Vera, Joana e Ísis

Vera conta:

"Tive minha filha caçula aos 46 anos e, um ano depois, o primeiro neto, parido pela minha primogênita. Foi meio estranho ser mãe e avó de duas crianças com um ano de diferença, acho que isso me fez uma avó sui generis. 

Quatro anos depois, nasceu a minha netinha. Aí fiquei envolvida com 3 crianças e já não sabia onde a mãe começava e onde a avó terminava... rs 

O ruim de tudo isso é que meus netos moram em outra cidade, bem distante, e nos vemos poucas vezes. A cada encontro, tenho que reconhecê-los, pois já mudaram de gostos, preferências, de ídolos, amigos e brincadeiras. 

Eles me chamam de Baba, que foi como o Angel, meu primeiro neto, me chamou antes de completar um ano. E a Joana, a neta, também adotou o nome. 

Então, sou a Baba, que não faz comida com carne, nem doces cheios de açúcar, não compra refrigerante, dá chazinho e própolis quando estão gripados. Eles reclamam, às vezes; em outras, fazem piada. E a minha caçula, a Ísis, é a tia que não é tia! Dá pra chamar alguém que tem quase a sua idade de tiaaaa? Enfim, adoro os três!

obs. A filha mais velha tem agora 36 anos, o segundo, 33 e a caçula vai fazer 14 em junho. Os netos têm 12 e 9.


Encontre Vera no Facebook.

Veja as receitas especiais da Vera em Cozinha Natureba

Leia os textos assertivos da Vera em Fora do Manual









7 comentários:

Clara Lúcia postou o comentário número:

Que história!
Mãe aos 46 é uma dádiva, e avó com filho pequeno pra criar.... nem sei o que pensar.
Importante e estarem tudos juntos e misturados.

Um beijo em todos, a avó, o filho, as netas, a filha, enfim, em todos!

Rosana Remor postou o comentário número:

Estou amando estas histórias de vós!!Eu quero muito ser avó!!Bjs.

Lúcia Soares postou o comentário número:

Vera, minha mãe teve a sua temporona, aos 44 anos, 45 dias depois da minha irmã mais velha ter tido sua primeira filha. Uma tia 45 dias mais velha que a sobrinha. As duas foram criadas juntas, por minha mãe. A neta a chama de mãe e não admite que se diga que a mãe é a outra, a quem ela vê como irmã.
Para nós, os outros filhos, foi natural essa "incorporação" da neta como filha e também a temos como irmã, não sobrinha.
De todo jeito, uma alegria criá-los, não é?
Beijo!
Beijo, Fernanda.

Priscyla Rodrigues postou o comentário número:

Minha sogra também vive uma história parecida.. Tem uma filha de 4 anos e agora tem um netinho de 3 meses, meu filhote...

Vera Falcão postou o comentário número:

Adorei a postagem e mando beijos pra todas! :)

Luciana. postou o comentário número:

Ai Fê tô achando muito legal as histórias partilhadas aqui. Tenho uma amiga que viveu mais ou menos isso da Vera.
Bjos, Lú.

Palavras Vagabundas postou o comentário número:

História para se contar por anos na família, mãe e avó! Tenho uns amigos que são tio e sobrinha com menos de um ano de diferença, então são mais amigos e quem não sabe nem desconfia do grau do parentesco.
Vera, parabéns!
abs
Jussara

Voltar ao topo Real Time Analytics