quarta-feira, 7 de maio de 2014

Desejo de ser mãe - Depoimentos Dia das Mães



Senta, que lá vem história. Longa, emocionante e deliciosa história de amor. É um post que eu estou amando publicar, e que você vai amar ler, com toda a certeza. Prepare seu coração para conhecer o depoimento da Rosane Castilhos.






"Dizem que a gente nasce sabendo o que vai ser, eu sempre soube que seria mãe, sempre desejei ser mãe, o que eu nem imaginava que seria algo tão TRANSFORMADOR na minha vida. Aconteceu quando tinha que acontecer, no tempo, na hora certa, na melhor hora. Depois de algumas tentativas de engravidar naturalmente e mais três vezes por fertilização in vitro, uma perda, muita ansiedade, muitas esperas, muito choro e de muito brigar com Deus, passei a entender que sim, eu seria mãe, mas de outro jeito, por outra via.  





Tanta coisa aconteceu no meio disso tudo, tive que aprender a lidar com tantos sentimentos, alguns nunca antes vividos. Palavras foram proferidas como se fossem promessas, e hoje de nada valem, ou melhor, me ensinaram que algumas coisas que a gente diz não passam de nuvens que a ventania e o tempo sopram pra bem longe. Pois bem, depois de um "vendaval" decidimos, eu e meu marido que iríamos adotar nossos filhos. 


Fizemos todo o processo, cabe aqui dizer que nada é fácil nesse percurso, muita burocracia, falta de bom senso por parte do judiciário, entre outras coisas que fazem a gente quase desistir da escolha feita. Mas apesar de tudo, não desistimos, pois sabíamos, e quando afirmo isso, é porque realmente SABÍAMOS que algo muito especial esperava por nós. 


Depois de quase três anos na fila da adoção, de repente, quando estávamos viajando, numa sexta-feira, atendi ao telefone e: "... vocês podem vir conhecer duas crianças, dois irmão na segunda-feira?"  Foi isso que falaram, mas eu ouvi assim: NASCERAM, SEUS FILHOS NASCERAM, VOCÊS PODEM VIR BUSCÁ-LOS! 



Acertamos as coisas e ficou combinado que lá estaríamos, sem falta, sem atraso, sem adiar um  minuto sequer da hora marcada. E foi assim que recebemos a mais linda das notícias. Meu desejo de ser mãe estava se realizando de fato, era concreto e tão perto... Mal conseguia explicar para meu marido o que a assistente social tinha me falado ao telefone, eu era uma mistura de riso e choro, de felicidade e emoção, lembro que eu lhe dizia: "são dois, são dois, uma menina e um menino..." 


Já pelo telefone fiquei sabendo que a menina era a mesma que eu havia conhecido em um abrigo há quase nove meses atrás, o tempo de uma gestação. Eu e uma amiga querida tínhamos ido visitar esse abrigo na Páscoa de 2012. Entre tantas crianças, uma menina de dois anos e nove meses que havia acabado de chegar me encantou. Ela estava assustada, arisca e triste, como não estar assim? 


Tinha sido retirada de seus pais há algumas horas atrás, sua "mãe" tinha ido para o hospital dar a luz a um menino, seu mano, com apenas seis meses de gestação e ela ali... Lembro dela sentada num cantinho, com um olhar dolorido, sem brilho. Mais tarde, ouvi um choro forte e fui ver o que era, pois era a menina chorando, pedi a uma das "tias" se podia pegá-la no colo, ela docemente me disse que sim que eu podia lhe dar a mamadeira, a peguei no colo, ela se aconchegou em meu ombro e lhe dei de mamar, (choro de felicidade ao escrever isso). 



Minha amiga, a essas alturas, já me esperava no estacionamento. Nós não sabíamos, mas eu estava dando de mamar para minha filha. Fui embora com a imagem daquela menina gravada na minha retina, na minha alma. Em casa contei tudo ao meu marido e ele me disse: "que nome lindo tem nossa filha." 


Adormeci pensando nela e em seu irmão. Durante um tempo pensamos neles e os desejávamos tanto, o tempo passou, a vida seguiu e nós paramos de falar neles. Até que o telefonema, aquele que me referi anteriormente, aconteceu.  Na segunda-feira, na hora marcada, estávamos lá no abrigo para conhecê-los. 


Depois de conversarmos com os profissionais do local, foram buscar o menino. Quando ele entrou na sala que estávamos deu um sorriso, a coisa mais linda que meus olhos já tinham visto e foi pro colo do meu marido, depois veio pro meu colo e seu sorriso ficou tão largo que o bico que ele estava foi empurrado pra bem longe. 




Eu acabava de abrir os braços para o MEU FILHO, a primeira vez que eu o pegava no colo, ele era tão pequeno e já tinha quase nove meses de vida, havia nascido prematuramente, passado por uma cirurgia e quatro internações bem difíceis. Apenas descrevo isso para que saibam da história, mas eu nem pensei em nada disso quando o tinha em meus braços, eu ali, naquele momento o AMEI, tão intensamente eu nem sei contar. 


Depois, acompanhados pela assistente social, fomos ver a menina que estava na Escolinha. Chegamos lá e brincamos com ela, nunca vou esquecer dela penteando meu cabelos. Foi ali que o amor renasceu, pois já havia nascido há alguns meses atrás. Na hora de irmos embora, ela quis ir junto, a levamos para o abrigo e fomos embora pra casa, adivinhem, chorando, rindo, falando demais sobre eles e na expectativa, pois ainda entrevistariam mais um casal. 


Antes de nós, foram entrevistados dezessete casais, nenhum deu certo por uma coisa ou outra, eles poderiam ter entrevistado mil e não daria, porque eles eram nossos filhos e conosco é que iriam embora dali. 




Na terça-feira o telefone de casa toca e, do outro lado, fala o Juiz da Infância e Juventude: "... vocês foram os escolhidos, podem vir busca-los amanhã às nove horas da manhã." Eu quase não conseguia falar, chorava, tremia, andava de um lado para o outro, liguei para o meu amor, o marido, e chorando lhe disse: AMANHÃ VAMOS BUSCAR NOSSOS FILHOS! Ele chorava do outro lado. Quando ele chegou em casa, nosso abraço demorado e as lágrimas nos anunciavam: VOCÊS JÁ OS AMAM! 


Ligamos para a família toda e amigos queridos, e a partir daí foi uma correria, montamos dois quartos em menos de 12 horas, roupinhas, brinquedos, fraldas, mamadeira. A gente queria recebê-los com algumas coisinhas. Eu fui dormir às 4 horas da manhã e acordei às 6 horas. Dormir? Que nada! Ao acordarmos, mal nos contínhamos de tanta felicidade. 


Lembro de ter colocado um vestido longo, me maquiado e me aprumado para buscar meus filhos. Acho que a gente faz isso quando vai fazer algo realmente importante. Nossa conversa no caminho era: do que será que nossa filha vai nos chamar: tio, tia? Como será que eles reagirão? Dúvidas e certezas se confundiam. Chegamos lá e nossa pequena nos esperava na porta, nunca, jamais, em tempo algum irei esquecer esse momento, ela correu para dentro gritando: "CHEGOU MINHA MÃE, CHEGOU MINHA MÃE!" Eu quase morri, tive que me conter e ir ao seu encontro recebi um abraço cheio de amor e eu pensava: PARI, ELA NASCEU! 




Ela estava linda com um vestido branco e amarelo (tenho ele guardado), já com as sacolas prontas para partir conosco ela nos dizia: "Vamos pegar o mano, vamos pegar o meu mano!" E assim fizemos, ele era só sorrisos, estava tão lindo nosso anjo, o peguei no colo e pensei de novo: PARI, MEU FILHO NASCEU! Fomos pra casa a FAMÍLIA toda e assim começou nossa melhor história, minha mais linda missão: SER MÃE! Faz quase dois anos que eles estão conosco e o que eu posso dizer é que nunca na vida senti amor desse tamanho, dessa largura e dessa profundidade. Enzo e Raquel são os amores da minha vida!"


Clique e visite o Atelier Rosane Castilhos

*


No mês de maio, vou trazer alguns depoimentos sobre mães e sobre filhos, para celebrar o dia das Mães em uma perspectiva não comercial, como já fiz em outras ocasiões. Venha ler e se emocionar. Envie seu depoimento para fernandareali@gmail.com e conte sua história. Se preferir, use pseudônimo, para não ser identificado.

Leia todos os relatos clicando em


A blogagem coletiva A Semana será postada no DOMINGO dia 11 de Maio. Obrigada pela visita!








43 comentários:

Adriana Balreira postou o comentário número:

Fer,
Como sempre seus posts dos dias das mães me emocionam e me fazem chorar. Que história linda e emocionante! REalmente, ser mãe é isso mesmo, saber quem são seus filhos na hora que os conhecem. Linda demais. Chorei litros... Seu post devia vim com pacote de lenços ao lado!!!
Beijos
Adriana

Leidi postou o comentário número:

Lindo demais!!! Fui lendo e lembrando dos momentos bem parecidos que eu tb passei.Parecem anjos de tão lindos os filhos da Rosane. Bj, Leidi

Rosane Castilhos postou o comentário número:

Engraçado isso, "me ler" em outro canto... Relembrei de tudo ao escrever, mas também me continha para não me desconcentrar e continuar escrevendo. Aqui foi diferente, relaxada e feliz me emocionei muito com tudo que reli. Acredito em reencontros de almas e foi isso que acabei de ler, eles sempre foram nossos filhos, não foram feitos por nós. mas para nós. Meus filhos me trouxeram um amor nunca antes experimentado e eu só agradeço por isso.
Muito obrigada Fernanda por fazer eu me emocionar mais uma vez, chorei, mas agora de felicidade... OBRIGADA!

Jeise Borges postou o comentário número:

Lógico que estou aos prantos! Que história maravilhosa! Sorri e chorei em cada detalhe! Lindo demais.

Cláudia Pinto postou o comentário número:

Como não se emocionar? Como não sentir a ansiedade que sentiram? As dúvidas e incertezas?

Não quero falar da parte chata e burocrática de uma adoção.

Deixo aqui todo o meu desejo de saúde, harmonia e felicidade, ou melhor, mais felicidade para essa linda família, que vieram se encontrar aqui nesse mundo, pois num passado bem distante, eles já eram pai, mãe e filhos.

beijooooooo

Rogéria Ferreira Thompson postou o comentário número:

Que história linda!! Felicidades para essa família!! As crianças estampam a alegria do amor e acolhimento em seus rostos felizes. Muita admiração por esse amor que ultrapassa todos os limites!! Feliz dia das mães.

Claudia Yamauti postou o comentário número:

Genteeeee, não consigo parar de chorar!!!
Que história linda, que crianças maravilhosas, que casal!!!
Fer, obrigada por publicar!
Rosane, obrigada por compartilhar!
Eu tenho três filhos, o amor que eu sinto por eles começou quando eu os vi e peguei pela primeira vez, não foi na gestação como acontece com muitas mulheres.
Muito lindoooo!!!

Prycila Patrício postou o comentário número:

Chorei... fico pensando no dia que isso vai acontecer comigo, estamos na fila há 3 anos! ;)

Opi Matoaka postou o comentário número:

Gente, que emocionante! O amor deles transborda tanto que eu pude sentir daqui.
Olha, digo mais: Vi na foto que o menino é a cara do pai.

Ariane Dicelli postou o comentário número:

Lindo demais!!!Me emocionei muito.....PARABÉNS!!!!

Cláudia Gimenes postou o comentário número:

Ai Rosane, como não emocionar? Na verdade, a cada história linda de formação de família a gente revive a nossa própria história um pouquinho.
Me emocionei por você, me emocionei por mim.
Linda sua história!
Feliz Dia das Mães!

Grande beijo.

Letícia Alves postou o comentário número:

Confesso que desde criança não tinha nenhuma queda para ser mãe, mas agora que eu tenho um companheiro, e depois de conversas, decidimos. Mas não ainda esse ano. Fico com medo, pois minha idade está avançando, mas também já falamos sobre adoção. E essa história linda e verdadeira de amor só fez reforçar meu pensamento. Muito linda a história!

vani postou o comentário número:

Acabei de abrir o maior berreiro aqui no trabalho, que lindo, que família linda, eu que acabei de descobrir que estou gravida e fiquei tão assustada, quero para mim um amor assim, uma felicidade plena, Fernanda obrigado por trazer essas lindas histórias.
Beijos

Josye Duran postou o comentário número:

Olá Fernanda!
Que linda a história da Rosane, me emocionei!!
Os planos Deus são melhores que os nossos, e muitas vezes não entendemos...
Bjss

Claudiene M.A. Finotti postou o comentário número:

Oi Fernanda, oi Rosane!
Bom, sou bem suspeita pra falar, já que sou apaixonada pelas crias da Rosane. Acompanho a história desde um pouco depois da chegada deles na família, que é na verdade bem mais que uma chegada, é um reencontro de almas. Pra completar, Rosane faz fotos lindas e consegue captar a essência de cada momento. A ligação entre Enzo e Raquel também é incrível, impressionante. Agradeço a você, Fernanda, por ter nos apresentado uma à outra. Adoro o jeito que a Rosane se expressa, a leveza e simplicidade que ela descreve sua rotina, a indignação que ela sente pelos injustiçados, o tipo de mãe que ela é para o casalzinho lindo de irmãos. E agradeço por essa comarca ter tido profissionais diligentes que facilitaram o trâmite desse processo de encontro para que ocorresse o quanto antes. Fico imaginando o tamanho de gente da Raquel correndo com passinhos ligeiros e falando que a mãe tinha chegado. Eu já ia ter que ser carregada dali mesmo rsrsrs.

Obrigada às duas por compartilharem essa bela mensagem de esperança para todos que amargam essa gravidez indefinida que é uma fila de adoção.

Beijos.

Clau

Vanessa Anacleto postou o comentário número:

As pessoas costumam falar do incrível amor que as mães tem pelos filhos gerados dentro de si. Histórias como esta nos mostram que o amor materno pode ou não passar pelo umbigo, que a parte da carne é mesmo um mero detalhe. Amor de mãe passa mesmo é pelo coração. Você olha a carinha daquele ser colocado sob sua responsabilidade, se apaixona e não tem mais salvação. Que linda história.

Márcia Balz postou o comentário número:

Oi Fernanda ! Muito obrigado por nos trazer esta estória linda. Um caso de sucesso de uma maternidade tão sonhada. Parabéns a toda família amorosa! Bjim!

Carol Vieira postou o comentário número:

Sras Fernanda e Rosane, vocês querem nos matar né?
Choreiii horrores. História mais linda, quanto amor e paz... Preciso dizer mais?
Sim preciso... Desejo mais e mais alegria para essa família, união, amor e saúde!

Fernanda, obrigada por compartilhar.

Beijos :o))

Vanessa postou o comentário número:

Muito emocionante! Parabéns a Rosane pela linda família! Também acredito que foi um reencontro de almas, que esperaram pelo momento de ficar novamente juntos! Que vocês sejam muito felizes!

Jussara e Vida postou o comentário número:

Oi, Fernanda e Rosane.
Que linda história de (re) encontro.
Deus sempre proporciona o melhor para quem merece.
Que Deus continue iluminando e abençoando essa família.
Obrigada, Fernanda por me emocionar com esse post.
Beijos

Brechique da Dodoca postou o comentário número:

Estou encantada!
Linda a história e, num tempo de tanta falta de sentimento, descobrir pessoas com tanta capacidade de amar... é indescritível!
Bjsssssssssssssssss

Léia Silva postou o comentário número:

Bom dia!
Mesmo conhecendo toda a "história" da Rosane, emocionei-me novamente, como há dois anos atrás!
Ela me dá sempre força para acreditar em um mundo melhor, para acreditar que também posso ter esperanças de um dia poder ter meus filhos nos braços e principalmente ela me ajuda a acreditar que no final vai dar tudo certo!
Lindo post.
Abraços fraternos
Léia

Allê Monteiro postou o comentário número:

Legal!!!!!!!!!!!
Eu também sou uma mamãe assim como você!!
Eu sou a mãe mais feliz do mundo!!!!!
Viva!!
Bjsssssss
Allê Monteiro

Rosane Castilhos postou o comentário número:

Li todos os comentários, AGRADEÇO o carinho e respeito, um beijo grande em cada uma de vocês. Espero que a minha história anime quem estava na dúvida: é SIM possível amar um ser que não foi gerado fisicamente pela gente. Preciso dizer também que sou grata aos pais biológicos dos meus filhos, foram eles que deram o dom da vida às pessoas mais importantes do mundo pra mim! Obrigada Fernanda por compartilhar um pedaço da minha vida e por me dar a chance de receber tanto afeto!

Ingrid Flauzino postou o comentário número:

Oi Fernando, tudo bem ?

Amo o tema Mãe, tudo que é relacionado a esse assunto, hama a minha atenção ! Seja de qualquer jeito, eu gosto de ver, ouvir e falar sobre esse assunto, mesmo sem ser mãe.Acho que é devido a minha enorme vontade de ser mãe...

Li e me emocionei,com o depoimento da Rosane, Haja coração, que historia linda...Mas lindo ainda foi ler, que aquela princesinha, já saiu gritando minha MÃE chegou *-* Deus é prefeito ! Esse relato só nos mostra como Deus é perfeito, pois ele não tira nada da gente , se não for para substituir por algo melhor !

Beijocas
é um prazer estar por aqui, posso ficar ?

Beijocas

Márcia Santana postou o comentário número:

Emocionadíssima estou, o amor de mãe é inexplicável. Família linda da Rosane.
bjs

Thaty Oliveira postou o comentário número:

Tem como não chorar ao ler este depoimento lindo?

Paula Mello postou o comentário número:

Tudo lindo. Texto e imagens, fotos em pb sempre me encantam... O melhor de ser mãe é que a gente vive nos filhos <3 é muito amor!! Adorei a história, comovente e vitoriosa, graças a Deus.

E as crianças são a "cara" dela né? Incrível. É aquela coisa do "tinha que ser", estava escrito nas estrelas.

Um excelente Dia das Mães pra vc, Fernanda!!

beijoss

Marion postou o comentário número:

A história da Rosane com seus filhos é linda. Amo acompanhar seus momentos pelo facebook...! Além de emocionantes, ilustrados com essas fotos lindíssimas!!! Abs.

Patricia Charleaux postou o comentário número:

que linda e emocionante história de amor entre mãe e filhos. Deus sabe mesmo o que faz!! Bjs adorei seu blog estamos seguindo!
http://patriciacharleaux.blogspot.com.br/

Neli Rodrigues postou o comentário número:

Sempre me emociono com histórias de adoção.
Vc sempre trazendo relatos pra nos emocionar e ver a vida por um outro ângulo.
Bjs

melissa postou o comentário número:

Chorei litros!!Que história linda...que emoção!! A alegria estampada no rostinho das crianças...

Monalise Nogueira postou o comentário número:

Fernanda, confesso que nunca li algo tao lindo quanto esse depoimento. A maternidade me encanta, me deixa feliz. Hoje ganhei o dia lendo esse texto tao lindo! Parabéns por tudo e por despertar nas pessoas sentimentos bons. Bjs

Luciara Roratto de Aguiar postou o comentário número:

Nossa, que história mais emocionante! Como o Criador tem sido bom pra vcs reservando esses filhos e gerando esse amor incondicional no coração de vcs! Parabéns pela família!

Atelie Natureza Cristiane postou o comentário número:

Deus esteja sempre na vida desse casal e de seus filhos, abençoando e alegrando sempre seus dias. Para o resto da eternidade! Muito emocionante.
Está estória seria um bom livro.
Parabéns.....
Feliz dia das mães Fernanda e Roseane

Cilene postou o comentário número:

Lindo, lindo , lindo!!!!! Emocionante, chorei!!! História linda, meu Deus!!! ♥♥

Daniela Moreno postou o comentário número:

Chorei rios!!!

A história da Rô é realmente muito linda e emocionante! E que lindos são esses filhos dela!

A Raquel é incrível, linda... falo sempre pra Rô o quanto sou encantada por ela!

Lindíssimo depoimento! <3

Susan Talita postou o comentário número:

Também vi isso, as crianças sempre acabam com a feição de quem eles convivem!!!

Lu Martins postou o comentário número:

Parabéns, o amor é realmente inexplicável.
Por favor me passa o lenço.... impossível não se emocionar. ..

Glauciane Mata postou o comentário número:

Lindo demais: impossível não se emocionar com um relato desses! Penso muito em adotar um irmãozinho para o Mateus e ouvir essa história tocou muito meu coração! Obrigada por compartilhar! Parabéns pela linda família que formou! Feliz dia das guerreiras! :) Bjos!

Claudia postou o comentário número:

Coisa mais linda!
Alguém tão querida e especial como a Rô só poderia ter filhos maravilhosos mesmo!
Acompanhei a história, mas nao sabia os detalhes
Parabens, queridas!
Fê, que emoção estes posts!
AMEI!
Bjks mil
www.blogdaclauo.com

Juliana Ramalho postou o comentário número:

Incrível e emocionante. Nas fotos que vejo sempre que ela faz dos dois se percebe o quanto são especiais. Tenho por parte de pai dois sobrinhos adotivos de idade hoje igual a minha e da mi ha irmã, filhas de uma meia irmã.
São do Sul. Estória parecida, ambas hoje tem seis filhos, ótimas realizações na vida.
Mas foi tão conturbada a vida delas.
Eu precisava ler algo assim nessa madrugada parir por outra pessoa.
Obrigada

Bjo

Voltar ao topo Real Time Analytics