terça-feira, 24 de maio de 2016

Celebrando o Amor Antigo





Este post foi feito em 2010, e volta agora na semana em que celebramos aniversário de namoro.







O AMOR ANTIGO


O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige, nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.


O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.


Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante,
o antigo amor, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.


Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor.





Carlos Drummond de Andrade 
(Amar se aprende amando)


4 comentários:

Cláudia Pinto postou o comentário número:

Que lindo!!! Parabéns!

Muitos anos de vida para o casamento, recheados de cumplicidade, amor, companheirismo, séquisso selvagy, viagens, bons drinks, conversa boa, conchinha, mão dada, beijo quente, risadas...

Rosane Castilhos postou o comentário número:

Lindo... tudo de melhor sempre pra vocês, a vida a dois é repleta de arestas a serem preenchidas, tão bom quando tudo isso é feito com amor!! Beijo e parabéns!

António Jesus Batalha postou o comentário número:

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho.Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

Voltar ao topo Real Time Analytics