sexta-feira, 19 de maio de 2017

A morte da Gabi



O post que eu nunca gostaria de escrever é este, com as palavras definitivas: Gabi morreu. Como diz a música, tristeza nao tem fim, felicidade, sim.

Minha foto preferida, um beijo entre tantos que ela me deu.


Raramente ela ficava sozinha, e assim que eu chegava, corria para lhe dar um "cheiro". Por 14 anos, ela teve cheirinho de Grando Bebê. 



Quando estava gorduchinha, antes da cirurgia de 2013.



Na sexta-feira, dia 12 de Maio, deitada no meu colo, às 6h 38min de uma manhã de sol, Gabi suspirou e parou de respirar. Foi assim, suavemente, sem gemer, sem desmaiar, sem ter dor aparente, sem convulsões, somente um suspirinho e fim.

Última imagem, uns minutinhos antes de morrer

A veterinária já havia dito que o fim estava próximo, os exames não estavam bons, cardiopatia grave, coração aumentado, fraquinho, prolapso. Ajustou a medicação e me advertiu dos riscos. 

Temos tantas fotos, mas tantas, e eu escolho as de sempre, as que têm mais valor afetivo.

Helena e Gabi, dormindo juntas, em 2003


Muitos beijos


Helena e Gabi, dormindo juntas, em 2017.



Gabi nos deu 15 anos do mais puro amor, Gabi recebeu sempre o nosso melhor, atenção, carinho, cuidados. 


Ela era do tamanho de uma latinha de refrigerante.
 

Era magrinha e estilosa. 

Amava sentar nas cadeiras da varanda


Helena e Gabi (Guga já estava na minha barriga)

Eu digo sempre que só tive filhos humanos porque eu gostei muito de ser mãe da Gabi. Ela me mostrou que eu poderia criar alguém, que eu saberia me doar.



As pessoas nem imaginam a sua doçura, pois têm em mente que pinscher é um tipo feroz, agitado, encrenqueiro, mas isso não acontecia com Gabi. Era meiga, delicadinha, inteligente, me entendia sempre. 



Há cerca de um ano, ficou cega, mas andava pela casa e pela varanda como se enxergasse, muito espertinha. Assistia todos os filmes comigo, era fã de BBB, não perdia um cineminha na minha cama.


Quando viajei, sempre a deixei em casa, com pessoas de confiança, que cuidaram de Gabi como eu cuidava, pessoas que estavam com ela desde bebê. Ela não sofria a minha ausência, mas eu sofria a dela, e eu chorava antes de dormir. Quando voltamos de viagem, no dia 1º de Maio, ela estava remoçada, ágil, e a tia Lekka contou uma história de que os doentes melhoram antes de morrer. Levei na brincadeira, mas foi o que aconteceu. 


Isa sentiu a partida da Gabi, mas estamos dando bastante atenção a ela.


Não estou sofrendo pela morte da Gabi, porque venho me preparando para isso desde 2014, então tivemos 36 meses de "sobrevida", e foram 36 meses maravilhosos. Estamos bem, todos tranquilos e gratos, porque Gabi não teve nenhum minuto de sofrimento.

Como disse a Dra Aline, a chama vai ficando fraquinha, até que vai-se apagar. Apagou a nossa chaminha, eu choro de saudades, mas não de tristeza. Obrigada a cada pessoa que deixou uma palavra de carinho, a cada pessoa que deu carinho à Gabi, muito obrigada.

Um obrigada especial às mães de cachorro com quem convivo, que se dedicam 100% aos seus filhinhos de 4 patas: Caren, Helliayse e Ana Luiza.


Este post participa da blogagem coletiva 52 Semanas de Gratidão, da amiga Elaine Gaspareto, mãe de cachorros como eu.






22 comentários:

Elaine Gaspareto postou o comentário número:

Fernanda, como te falei no insta eu sabia que um dia leria essas palavras, mas ainda assim fiquei bem triste.
Mas também grata pelo amor imenso que ela ensinou e desfrutou.
Uma chaminha mesmo, que só fez coisas boas.
De quem mais a gente pode dizer isso?
Saudade é ruim, dói mas é ainda assim bom porque só tem saudade quem amou e só deixa saudade quem foi amado... e amar é bom...
Né?
beijossss

Vanessa postou o comentário número:

Assim como você, eu só tive um filho humano por causa da minha Aimê! Que bom que vocês estão bem. Lindas lembranças! Um beijo com muito carinho.

Marion postou o comentário número:

Faz horaaaas que não deixava um comentário aqui [geralmente leio posts no celular e é muito ruim de comentar por ele...] - não queria q fosse nesse post, mas fiquei feliz de vir lê-lo. Quem te acompanha, acompanhou tb Gabi. E fico feliz que tenha sido assim, com ela no teu colo, com as duas em tranquilidade. Beijinhos - e saudades da gente se ver!
Marion

Lúcia Soares postou o comentário número:

Por uns tempos acompanhei a Fernanda, mas depois nos separamos. Lembro-me bem do amor que ela tinha pela sua companheirinha. Sinto muito. Abraço pra Fernanda.

Rosana Cumpri postou o comentário número:

Gabi tb era nossa e tb sentimos saudades! ❤️��

Rosane Castilhos postou o comentário número:

Nem sei porque vim parar aqui... estou no celular, fui no teu insta e resolvi vir no teu blog. Estou muito emocionada, mal consigo digitar, te lendo relembrei de todos os meus filhos caninos que partiram. É tanto amor né amiga? Fica uma saudade enorme. A Gabi foi tão amada, tão cuidada. Vocês devem ficar muito tranquilos. A AMARAM TANTO e isso é tudo. Beijo amiga querida ❤

Marly postou o comentário número:

Oi, Fernanda,

Que linda que era a Gabi! Sei bem como a gente se sente com uma perda dessas, pois já passei por isso algumas vezes. A verdade é que o amor dos animais é tão sincero e incondicional, que é impossível que ele não sensibilize um coração normal. E um bichinho que teve uma vida longa, como a Gabi, com certeza marcou épocas nas vidas das pessoas da família, especialmente nas das crianças, que terão um motivo a mais para se lembrar dela com carinho. Quando os nossos amados pets se vão desse mundo, só nos resta mesmo agradecer a alegria e o amor que nos proporcionaram.

Um beijo

✿ chica postou o comentário número:

Fernanda, que triste ver isso! Sei bem a dor! Ano passado perdemos a nossa CUCA, 14 anos também! Agora é relembrar os momentos tão lindo dessa convivência que é tão mágica! Fiquem bem! bjs, chica

Adelaide Araçai postou o comentário número:

Owm Gabi deixa saudades, penso que isso é, ou deveria ser, o objetivo de todo ser humano, pois só se tem saudades do que é bom.
Amei seu relato.
Abraços

Ana Maria postou o comentário número:

Uma pena que nosso amigos de quatro patas se vão tão rápido e ficamos tristes e com saudades. Mas guardamos sempre boas recordações de momentos de amor e muito carinho.

SÔNIA R.B. postou o comentário número:

Fernanda fique bem, certamente fizesses o melhor.
Aqui mãe de 2 caninas
Beijocas

Bruxa do 203 postou o comentário número:

Que linda ela! Ainda bem que foi de maneira tranquila. Todos os cachorros deveriam ter uma família legal e ser bem tratados.

Turquezza postou o comentário número:

Depois de muito tempo sem ver seu blog, foi na Elaine que me deparei com esse relato seu. E deixo meu abraço de carinho para vocês.
Já passei por isso 6 vezes. É doloroso demais. A saudade é imensa.
Aprendi a lembrar só dos bons momentos que tivemos, da alegria, do amor incondicional que esses peludinhos sentem por nós e vice-versa.
Paz e luz.
joturquezzamundial
Beijos.

Além da Rua Atelier por Veronica Kraemer postou o comentário número:

Fe querida, eu não sabia e sinto muitíssimo por sua perda...
Minha Mhi partiu já faz mais de um ano, e a "vejo" perto de mim todos os dias, acredita?
Sei que estás sofrendo muito agora, mas acredite, a dor vira saudade e agradecimento!
Sinto muito mesmo e espero que vocês todos fiquem bem!
beijos com carinho
Vero

Renata postou o comentário número:

Oi Fer .

Como eu já comentei no face, de tanto acompanhar suas postagens, e desde a blogagem coletiva de esmaltes, me afeiçoei a Gabi, e à Isa tb, de um jeito que parecia que eu a conhecia de perto. Senti muito, chorei "pacas', e to chorando de novo...
Esse sempre foi meu medo com a minha Loretta, o dia da partida...e esse ano isso se tornou mais presente. Em março/abril agora ela ficou muito ruim, 10 dias sem comer. Eu acordava ja olhando para ver se ela estava respirando. Ficava assim o dia todo. Mas passou, graças a Deus, a fase crítica. Porém essa sombra está sempre por perto. Ela já tem 15 anos e meio, já ceguinha de um olho, magrinha...mas é forte a minha boneca. resistente. E vou curtindo enquanto Deus deixa ela comigo mais um pouco.

Beijos, Renata
do esquecido palpitandoemtudo, rsrs

Myriam Cedro postou o comentário número:

Oi, Fernanda. Eu não seio que dizer.. eu só quero deixar aqui registrado que esses seres são amor em nossas vidas. Morro de saudades da minha Charlot.. que viveu conosco por 14 anos... sendo alegria e luz em nossa casa. Eu desejo que você encontre conforto... e que pense que ela está pra sempre em seu coração! Um Beijo.

Roselia Bezerra postou o comentário número:

Olá, querida Fernanda!
Já perdi meu Sansão e sei como doi...
Vai passar e, aliás, já vi que superou bem pois tem amor aos animais e sabe que isso acontece mesmo.
Fotos lindas!
Bjm fraternal

Quel postou o comentário número:

Sinto por sua perda, mas que bom que você está conformada e que ela partiu sem sofrimento. Infelizmente, faz parte esse momento. Bom restante de semana.

Raquel organizareviversaudavel.blogspot.com

Deodato Gomes Costa João Beraldo postou o comentário número:

Olá Fernanda,
Me senti tocado por esta linda história. É muito delicada e cheia de muito amor . Alguém já disse que o amor dos animais é o mais fiel, incondicional e confiável que podemos ter.

Cibele Leite postou o comentário número:

Sinto muito pela perda da Gaby, sei o qto ela foi amada.

beijos

Layla Silva postou o comentário número:

Tenho muita pena que tenha acontecido. Também já perdi alguns.

Voltar ao topo Real Time Analytics