Mostrando postagens com marcador 52 semanas de Gratidão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador 52 semanas de Gratidão. Mostrar todas as postagens

Fim de um ciclo, começo de outro

em 11/01/2018

O ano de 2017 terminou, e eu não fiz um fechamento das postagens, mas vim aqui fazer um post de agradecimento aos leitores e comentaristas. Muito obrigada, amigos virtuais! Todos temos tristezas e alegrias, todos temos o que contar. Obrigada a quem veio ler, apoiar, compartilhar. Se eu fosse contar tudo o que passei em 2017, este blog passaria a se chamar Sessão de Terapia.




No fim de 2017, não vim postar as comidas, nem mostrar a decoração de Natal, nem fiz as proposições de "Feliz Ano-Novo". Não decorei a casa, apenas pus algumas luzinhas. A única coisa que fiz questão de colorir foram as unhas. Usei vários vermelhos em Dezembro, e este "Toque de Ira" foi o mais bonito.



Experimentei tantas coisas desde Outubro, mas tantas, que nem eu acredito. Viagem, passeio, show, leitura, cinema, enfim, tive dias repletos. 

Tenho postado tudo no Instagram instagram @fernandareali  (me diga qual sua @ para eu segui-lo).

Quero agradecer a você, que vem aqui, ler ou comentar.
Quero agradecer à Elaine Gaspareto, que cuida do meu blog e propõe as blogagens coletivas, agregando bons sentimentos.

Sou grata por ter participado diversas vezes do painel #52semanasdegratidão e vou participar dos painéis sobre um novo olhar. No próximo post, vou começar. O que você vê e pode ser revisto com novos olhos, com um novo olhar? Pense. Bisbilhote como funciona clicando aqui.

Fim da blogagem coletiva de 2017


No próximo post, seja bem vindo a um novo OLHAR



Como Nossos Pais

em 05/09/2017




Versos que conversam comigo há anos: a música
Como nossos pais repercute sempre com verdade em mim. 


(...)
Viver é melhor que sonhar
Eu sei que o amor
É uma coisa boa
Mas também sei
Que qualquer canto
É menor do que a vida
De qualquer pessoa...

(...)

Você me pergunta
Pela minha paixão
Digo que estou encantada
Como uma nova invenção
Eu vou ficar nesta cidade
Não vou voltar pro sertão
Pois vejo vir vindo no vento
Cheiro de nova estação
Eu sei de tudo na ferida viva
Do meu coração...

(...)

Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo o que fizemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Como os nossos pais...


Meu amor tem sido a melhor companhia para todos os momentos. Com ele fui ver este filme impactante, que se chama "Como nossos Pais", vencedor de diversos prêmios Kikito em Gramado.  #comonossospaisofilme tem tido uma trajetória de sucesso também no exterior. 

O filme se passa em São Paulo, conta a história de Rosa, sua mãe, suas filhas, seu marido, seu estresse, suas angústias, seus desejos, suas frustrações. Rosa poderia ser cada uma de nós em algum momento da vida. Veja o trailer, leia as críticas, assista ao filme, reflita, se emocione. É um trabalho de equipe muito bem concatenado, em que Maria Ribeiro brilha.



Assista ao trailer aqui.


Um momento que vou lembrar para sempre foi o show do cantor Paulo Ricardo no Teatro Riachuelo. Fui com minha filha Helena, com a querida amiga Chris Inventando com a mamãe, e a amiga dela, super simpática, a Marcia. Adorei tudo, cada momento. Paulo Ricardo continua talentoso e carismático, como era da primeira vem em que eu o vi, em 1985. 



Fique atendo às próximas apresentações no show On The Rock.

Chris também postou sobre o show do Paulo ricardo. Dê uma espiadinha no 
Inventando com a Mamãe.


Se você assistir ao filme Como nossos pais, por favor, me conte. Quero saber se foi tão impactante para você como foi para mim. Obrigada pela sua visita!


Participe desta blogagem coletiva, um post por semana, ou quando for possível, conte o seu momento de gratidão e depois leve seu link lá para a minha amiga Elaine Gaspareto.   



O prazer não é complicado

em 20/08/2017


Li e reli esta frase: "o prazer não é complicado". Como assim? Então por que é que estou vivendo as coisas sem sentir o verdadeiro sabor delas, como se a rotina não me trouxesse prazer? 

Eu gosto de ter prazer diariamente, seja fisicamente, em um beijo na boca, por exemplo, ou intelectualmente, assistindo a um filme interessante, ou ainda tendo uma conversa bacana. Viver sem perceber os prazeres cotidianos nem é viver, é apenas existir.




Ser grato nos faz perceber nossos pequenos prazeres. Ser generoso é uma forma de sentir prazer, ao percebermos o bem que foi possível proporcionar a alguém. 



Estas fotos são do livro Código de um Cavaleiro, que eu recomendo e estou sempre citando. Ele traz uma coletânea de frases e situações que vivemos com frequencia. 


"Rules for a Knight" foi escrito por um ator que adoro, que atuou na trilogia Antes do Amanhecer, Antes do Por do Sol, Antes da Meia Noite. Ele se chama Ethan Hawke e fez o sensacional pai em "Boyhood"(filmão).



Entre os prazeres descomplicados destes últimos dias, estão os momentos a dois que passei com meu marido. Planejamos um tempo de qualidade para nós, fomos a um show de jazz, para ouvir Daniela Spielman, jantamos em um bistrô, comemos um atum muito bom, conversamos horas e horas, namoramos sossegadamente, caminhamos pelo bairro, aproveitamos para ver vários filmes italianos. 


Usei o esmalte Mavala cor Moscow para surpreender o meu amado, já que ele estuda russo, e aproveitei para aprender umas palavrinhas:

Я тебя люблю
 

Любимый

КотикДорогой




Participe desta blogagem coletiva, um post por semana, ou quando for possível, conte o seu momento de gratidão e depois leve seu link lá para a minha amiga Elaine Gaspareto.   




Santa Ajuda com Micaela

em 28/07/2017



Recomendo este livro, bem útil e bem bonito, com fotos grandes, diagramação ótima, tema necessário: Santa Ajuda com Micaela Góes, baseado nas dicas de organização que ela dá no programa do canal GNT. 



Eu sou uma bagunceira arrumadinha, pois arrumo, arrumo e, zummm, bagunço tudo de novo! Além de ler o livro da Micaela, vou ficar relendo e consultando sempre.  Comprei-o em uma promoção na Livraria Saraiva por R$ 39,90.


Passeando pelo centro do Rio com a tia Lekka, vimos uma vitrine linda da loja Papel Craft, em que tinha esta placa na porta. A frase me conquistou. O melhor da vida é analógico. Viagens, banho de chuva, abraços, risos, beijos.



Arrumando a pequena estante que tenho embaixo da escada da sala, achei um livro de poemas da Martha Medeiros. Os primeiros versos que li nesse dia foram: 

"só levo a sério no mundo 
o que lhe torna prazeroso

fútil é o tempo desperdiçado
 com especulações críticas e financeiras

 a vida não é mais que uma besteira 
bem curtida."



Ganhei esta flor da professora May, que passou aqui na portaria e a deixou pra mim. Esse pequeno gesto iluminou o meu dia. Como é bom alguém lembrar da gente com carinho! Ontem, Vanusia replantou esta flor em m vaso maior, para que cresça bastante. Ela é linda, né?




Começamos a namorar no século passado ao som dos Beatles. Meu amor era um menino que tocava The Beatles em uma bandinha no colégio. Vinte e muitos anos depois, fomos namorar ouvindo nossas músicas. Levamos os filhos, que têm aulas de canto e já sabem várias letras. Beatles num Céu de Diamantes é um espetáculo de extremo bom gosto, com uma hora e meia de boa música, atores/ cantores ótimos. Está em cartaz desde 2008 e já foi assistido por mais de 700 mil pessoas. Se você quiser se encantar com o show, assista um pedacinho no youtube clicando aqui 



Nestas fotos, eu estava usando o esmalte Risqué, cor POEMA.


Foi uma semana com muitas coisas para agradecer: leituras, músicas, passeios, carinho, amor.


Participe desta blogagem coletiva, um post por semana, ou quando for possível, conte o seu momento de gratidão e depois leve seu link lá para a minha amiga Elaine Gaspareto.   



O filme Lion - solidariedade e gratidão

em 24/06/2017


Eu assisti ao filme Lion umas cinco vezes. Gostei tanto que o indico para todo mundo. É um filme emocionante, sem ser meloso, tem uma história bem contada, tem um roteiro inteligente, tem uma fotografia linda, tem atores maravilhosos. Ele é baseado em fatos reais, mas mesmo conhecendo a história toda, ele nos surpreende. Ele mostra um homem tentando descobrir sua origem, pois foi adotado quando era pequeno, em um país distante, e sente necessidade de montar o quebra-cabeça de sua vida. Saroo é inteligente, é amoroso, é grato. Ele vê seu passado e seu presente com gratidão. Você pode assisti-lo na Netflix ou no Telecine Play. Clique para ver o trailer.



Em uma cena de Lion, Saroo está angustiado, conversa com a namorada sobre o que aconteceu, e ela, mesmo sem poder ajudá-lo a resolver o problema, o conforta estando junto com ele. Às vezes, a ajuda que podemos dar está apenas e tão somente na nossa presença, no desejo de estar passando um momento juntos. Leia mais sobre o filme Lion, uma jornada para casa.

Eu chorei muito, desde que a Gabi morreu, no dia 12 de Maio. O meu autocontrole só funciona durante o dia, ele desaparece na hora de dormir. Sinto insônia, sinto fome, como besteiras, engordei. Uma ansiedade e um nó na garganta tomaram conta de mim. Hoje, venho agradecer às amigas que me deram atenção, carinho, e que se dispuseram a passar um tempinho comigo. 









Unhas com esmalte Risqué Licor, hipoalergênico, cor de vinho bem escuro. 
Pintei em casa, dá para perceber os borradinhos.



Participe desta blogagem coletiva, um post por semana, ou quando for possível, conte o seu momento de gratidão e depois leve seu link lá para a minha amiga Elaine Gaspareto.   



Como Ser Feliz no Amor e no Casamento

em 16/06/2017


Ler sobre o amor e casamento não faz a gente saber amar, mas nos ajuda a refletir se podemos receber e dar amor de melhor qualidade.  Seguem algumas sugestões de textos e filmes sobre amor que li e vi no último mês.

Livro 365 Dias Extraordinários


O Dr. Flavio Gikovate, falecido no final de 2016, tem diversos livros sobre relacionamentos a dois, e este Para ser feliz no amor, mostra como o medo e a baixa autoestima podem destruir nossa vida amorosa.




"(...) O primeiro passo para a felicidade sentimental consiste em aprendermos a ficar razoavelmente bem sozinhos.

Trata-se de um aprendizado e requer treinamento, já que nossa cultura não nos estimula a isso. Temos que nos esforçar muito, já que os primeiros dias de solidão podem ser muito sofridos.

Com o passar do tempo aprendemos a nos entreter com nossos pensamentos, com leituras, música, filmes, internet etc. Aprendemos a nos aproximar de pessoas novas e até mesmo a comer sozinhos.

Pessoas capazes de ficar bem consigo mesmas são menos ansiosas e podem esperar com mais sabedoria a chegada de amigos e parceiros sentimentais adequados. (...)"



Já conheci casais em relacionamentos abusivos e, felizmente, aqui em casa não existe isso.  Qualquer desacordo ou desavença é conversada, porque nós sabemos que o diálogo é o caminho. Tentar ser o melhor ouvinte que puder é uma boa dica. Ouvir bem significa saber conversar bem, e isso gera o melhor entendimento.



Eu sou muito grata ao meu marido, meu companheiro de vida, que me inspira a estudar, aprender e a ser mais bem informada, me mostra lugares bacanas, me dá livros de presente, me desafia aprender. 



*

Para descontrair, trago duas comédias argentinas que atualmente estão na Netflix. Adrián Suar é o ator protagonista nos dois filmes. Un novio para mi mujer mostra um marido exausto do mau humor de sua mulher, que é grosseira e chata. Ele tem medo de pedir o divórcio e ter que aguentar sua ira, então decide arrumar um namorado para ela, acreditando que ela mesma vá pedir a separação se estiver apaixonada pelo sujeito. 



Nesta outra comédia, Dos más Dos, vemos dois médicos, que são sócios em uma clínica e mantêm uma amizade há muitos anos. Um dia, a mulher de um deles resolve propor que façam algo para movimentar a rotina do casamento, e sugere o swing, a troca de casais. Achei o filme bem divertido e com ótimos diálogos, mas o desfecho foi chatinho e moralista.



Por causa da alergia, continuo muito seletiva com os esmaltes, e o Manhatthan Last & Shine é seguro para mim, não causando nenhuma reação alérgica. Esta cor 540 Dark Dance é um vinho, com pitada de marrom, bem bonito para o Outono/ Inverno.





Leia mais sobre o Dr Flavio Gikovate no site Contioutra.

Clique AQUI e leia um trecho maior do livro Para ser feliz no amor.


Este post participa da blogagem coletiva da Elaine Gaspareto





A morte da Gabi

em 19/05/2017



O post que eu nunca gostaria de escrever é este, com as palavras definitivas: Gabi morreu. Como diz a música, tristeza nao tem fim, felicidade, sim.

Minha foto preferida, um beijo entre tantos que ela me deu.


Raramente ela ficava sozinha, e assim que eu chegava, corria para lhe dar um "cheiro". Por 14 anos, ela teve cheirinho de Grando Bebê. 



Quando estava gorduchinha, antes da cirurgia de 2013.



Na sexta-feira, dia 12 de Maio, deitada no meu colo, às 6h 38min de uma manhã de sol, Gabi suspirou e parou de respirar. Foi assim, suavemente, sem gemer, sem desmaiar, sem ter dor aparente, sem convulsões, somente um suspirinho e fim.

Última imagem, uns minutinhos antes de morrer

A veterinária já havia dito que o fim estava próximo, os exames não estavam bons, cardiopatia grave, coração aumentado, fraquinho, prolapso. Ajustou a medicação e me advertiu dos riscos. 

Temos tantas fotos, mas tantas, e eu escolho as de sempre, as que têm mais valor afetivo.

Helena e Gabi, dormindo juntas, em 2003


Muitos beijos


Helena e Gabi, dormindo juntas, em 2017.



Gabi nos deu 15 anos do mais puro amor, Gabi recebeu sempre o nosso melhor, atenção, carinho, cuidados. 


Ela era do tamanho de uma latinha de refrigerante.
 

Era magrinha e estilosa. 

Amava sentar nas cadeiras da varanda


Helena e Gabi (Guga já estava na minha barriga)

Eu digo sempre que só tive filhos humanos porque eu gostei muito de ser mãe da Gabi. Ela me mostrou que eu poderia criar alguém, que eu saberia me doar.



As pessoas nem imaginam a sua doçura, pois têm em mente que pinscher é um tipo feroz, agitado, encrenqueiro, mas isso não acontecia com Gabi. Era meiga, delicadinha, inteligente, me entendia sempre. 



Há cerca de um ano, ficou cega, mas andava pela casa e pela varanda como se enxergasse, muito espertinha. Assistia todos os filmes comigo, era fã de BBB, não perdia um cineminha na minha cama.


Quando viajei, sempre a deixei em casa, com pessoas de confiança, que cuidaram de Gabi como eu cuidava, pessoas que estavam com ela desde bebê. Ela não sofria a minha ausência, mas eu sofria a dela, e eu chorava antes de dormir. Quando voltamos de viagem, no dia 1º de Maio, ela estava remoçada, ágil, e a tia Lekka contou uma história de que os doentes melhoram antes de morrer. Levei na brincadeira, mas foi o que aconteceu. 


Isa sentiu a partida da Gabi, mas estamos dando bastante atenção a ela.


Não estou sofrendo pela morte da Gabi, porque venho me preparando para isso desde 2014, então tivemos 36 meses de "sobrevida", e foram 36 meses maravilhosos. Estamos bem, todos tranquilos e gratos, porque Gabi não teve nenhum minuto de sofrimento.

Como disse a Dra Aline, a chama vai ficando fraquinha, até que vai-se apagar. Apagou a nossa chaminha, eu choro de saudades, mas não de tristeza. Obrigada a cada pessoa que deixou uma palavra de carinho, a cada pessoa que deu carinho à Gabi, muito obrigada.

Um obrigada especial às mães de cachorro com quem convivo, que se dedicam 100% aos seus filhinhos de 4 patas: Caren, Helliayse e Ana Luiza.


Este post participa da blogagem coletiva 52 Semanas de Gratidão, da amiga Elaine Gaspareto, mãe de cachorros como eu.








TOPO